BMW 318d Gran Turismo: Não é um carro qualquer

Estar num nível superior, sentir a segurança e conforto únicos, ter o “poder de fogo” num arranque ou numa ultrapassagem é algo que só alguns conseguem. O preço, sempre essa dificuldade, começa nos 44.100 euros, mas a unidade testada supera os 61.700 euros. Dizer que não vale a pena ter extras neste 318d GT é […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Estar num nível superior, sentir a segurança e conforto únicos, ter o “poder de fogo” num arranque ou numa ultrapassagem é algo que só alguns conseguem.

O preço, sempre essa dificuldade, começa nos 44.100 euros, mas a unidade testada supera os 61.700 euros. Dizer que não vale a pena ter extras neste 318d GT é mentir. Tudo se paga. A transmissão automática, o teto de abrir panorâmico e a versão light sport, que custa quase três mil euros, mas que tem coisas tão úteis como o cruise control com função de travagem ou o ar condicionado automático, ou ainda os sensores de estacionamento traseiro e dianteiro. Ainda nesta versão que testámos usámos pneus runflat e jantes de 18 polegadas, para além dos confortáveis bancos dianteiros desportivos.

Mas o que tem de tão especial esta série 3 GT? Exactamente a opção da marca alemã por um carro com uma excecional aparência, um carro aspiracional, mas que dá prioridade à família e a tudo o que utilitário.
A linha traseira coupé incorpora uma quinta porta com uma excecional bagageira e cujo peso “obriga” a ter o botão de fecho automático. É mesmo conveniente! A traseira móvel existe desde 2013 mas é eficaz, porque cria forças aerodinâmicas ascendentes em velocidades elevadas.

O exterior das portas sem frisos dá-lhe o carácter bem mais desportivo e a frente não parece a de um carro de família. Faz lembrar as desportivas séries 6.
O interior é espaçoso, até porque o construtor melhorou o design final no comprimento e na altura.
Atrás, o espaço é equivalente ao de um SUV ou ao de uma limousine e, claro, sem ter os custos associados. A BMW oferece as tradicionais três linhas de acabamentos e respetivos extras, variando o preço, claro.

Em termos de motor, o que se pode dizer é que é irrepreensível. Os consumos estão junto dos 6,5 L/100 em autoestrada, bem diferente dos 4,5 L/100 Km anunciados pelo construtor mas, claro, tudo depende da velocidade que se quer imprimir e da agressividade da condução.
As motorizações de dois litros apresentam potências entre os 143 cv. Do zero aos 100 Km/h, a unidade testada de 143 cv faz 9,7 segundos. Nada mau para um carro que se quer para a família.

A recomendação na utilização desta viatura vai, naturalmente, para as longas viagens de fim de semana ou de férias, passadas ao som de uma excelente música e com um GPS sempre funcional. O som proposto neste série 3 GT é de qualidade, embora o GPS não profissional elimine localidades menos relevantes, como aliás tivemos oportunidade de experimentar.

OJE

Recomendadas

AdC acusa Cabelte, Quintas e Quintas e Solidal de cartel em contratação pública lançada pela REN

AdC acusa as empresas fornecedoras de cabos de Muito Alta Tensão de acordo anticoncorrencial em procedimentos de contratação pública, num concurso lançado pela REN.

Ibersol com lucros de 14,6 milhões de euros até setembro

A Ibersol registou nos primeiros nove meses deste ano lucros consolidados de 14,6 milhões de euros, que comparam com prejuízos de mais de 20 milhões de euros no período homólogo.

Greve na CP e IP suprimiu 701 comboios até às 18h00

A greve dos trabalhadores da CP – Comboios de Portugal e da Infraestruturas de Portugal (IP) levou à supressão de 701 comboios da CP entre as 00h00 e as 18h00.