BNA vai disponibilizar em dezembro 1.054 milhões de euros aos bancos comerciais

Numa nota, em que define o montante e calendário indicativos dos leilões de moeda estrangeira, o banco central angolano refere também que a verba se destina a “plafonds” para cartas de crédito para todas as finalidades, com os leilões a realizarem-se com uma frequência diária.

Obna Banco Nacional de Angola (BNA) anunciou esta terça-feira que vai disponibilizar 1.200 milhões de dólares (1.054 milhões de euros) aos bancos comerciais através de leilões de preço na venda de divisas, o maior valor dos últimos três meses.

Numa nota, em que define o montante e calendário indicativos dos leilões de moeda estrangeira, o banco central angolano refere também que a verba se destina a “plafonds” para cartas de crédito para todas as finalidades, com os leilões a realizarem-se com uma frequência diária.

Após cada sessão, o BNA divulgará, no seu portal institucional, o montante disponibilizado, o número de participantes, a taxa de câmbio mais alta e a mais baixa admitidas, bem como a taxa de câmbio média resultante da sessão.

Acabadas as sessões de venda trissemanais de divisas em leilão aos bancos comerciais, iniciadas a 09 de janeiro último, o BNA está desde 01 de novembro a proceder a operações diárias.

Em setembro, o BNA colocou no mercado 598 milhões de euros, tendo aumentado a disponibilidade em outubro e novembro, para 650 milhões de euros e 850 milhões de euros, respetivamente.

Recomendadas

Fidelidade reforça posição na seguradora peruana La Positiva para 93,9%

Na sequência de uma OPA, a Fidelidade passou a controlar 93,9% da seguradora e para isso faz um investimento de 396,3 milhões de soles, o equivalente a cerca de 101,2 milhões de euros.

Credit Suisse desencadeou o processo de venda do Mandarim Oriental Savoy Zurique

O banco tem trabalhado com um adviser para receber manifestações de interesse no famoso hotel, anteriormente conhecido como o Hotel Savoy Baur en Ville, refere a “Bloomberg” que cita pessoas com conhecimento do assunto.

“Angola representa uma oportunidade para os nossos acionistas”, afirma CEO do Access Bank

“Angola representa uma oportunidade para os nossos acionistas participarem no que acreditamos que irá gerar um valor mais forte à medida que África vai emergindo”, explicou Herbert Wigwe, CEO da Access Holding Pics, numa entrevista exclusiva para a Forbes África Lusófona.
Comentários