BNP Paribas Portugal: “As perspetivas para o Grupo no país são muito positivas”

Jean-Marc Pasquet, CEO do grupo BNP Paribas em Portugal, avança dados que apontam para um futuro de pedra e cal: um aumento das quotas de mercado em 2014 em todas as áreas de negócio, nomeadamente no crédito ao consumo, com a Cetelem e, nos serviços financeiros, com empresas como o fatoring e a banca de […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Jean-Marc Pasquet, CEO do grupo BNP Paribas em Portugal, avança dados que apontam para um futuro de pedra e cal: um aumento das quotas de mercado em 2014 em todas as áreas de negócio, nomeadamente no crédito ao consumo, com a Cetelem e, nos serviços financeiros, com empresas como o fatoring e a banca de investimento.

Criado no ano 2000 em resultado da fusão do Banque Nationale de Paris com o Paribas, o BNP Paribas é o maior banco francês e um dos maiores bancos a nível europeu. Quando se instalou em Portugal? O que oferece?

O BNP Paribas, especialista em serviços financeiros, é um dos maiores e dos mais antigos grupos internacionais com presença em Portugal. O seu negócio de Corporate & Institutional Banking foi a primeira área de atividade a instalar-se em 1985. O Grupo opera atualmente, em Portugal, através de nove subsidiárias:

• BNP Paribas Corporate & Institutional Banking

• BNP Paribas Securities Services

• BNP Paribas Investment Partners

• BNP Paribas Cardif

• BNP Paribas Personal Finance – Cetelem

• BNP Paribas Leasing Solutions

• Arval

• BNP Paribas Factor

• International Trade Partners

O negócio está essencialmente orientado para Grandes Empresas, Multinacionais Instituições Financeiras e Investidores Institucionais.

Quanto cresceu em negócio e empregos desde a instalação até à data?

As várias entidades do Grupo BNP Paribas ocupam posições de líder em Portugal como o BNP Paribas Personal Finance, que opera sob a marca Cetelem, que é líder do mercado do crédito ao consumo; o BNP Paribas Leasing Solutions, que é líder na captação de novos contratos de equipamentos; o BNP Paribas Cardif, que é líder em soluções de proteção. O BNP Paribas Corporate and Institutional Banking é líder em debt capital market há três anos consecutivos.
De assinalar, ainda, que o BNP Paribas escolheu Portugal para implementar um centro de serviços financeiros de excelência vocacionado para a prestação de serviços a diferentes entidades do grupo no país e a nível internacional. O projeto arrancou em 2008, com a abertura em Lisboa do Centro Internacional de Operações do s, e foi alargando os seus serviços a outras áreas do grupo. Esta evolução tem sido acompanhada por um notável acréscimo de recursos humanos, suportando estes serviços financeiros de Portugal para o Mundo.

Anualmente, esta atividade representa cerca de 40 milhões de euros em exportação de serviços e criação de várias centenas de novos postos de trabalho.

Que projetos se prefiguram a curto, médio prazo? Quais são as perspetivas de crescimento do negócio?

O BNP Paribas comemora, este ano, três décadas de presença em Portugal e as perspetivas para o grupo no país são muito positivas. Estamos numa fase de boas oportunidades. Em 2014, aumentámos as quotas de mercado em todas as áreas de negócio, nomeadamente no crédito ao consumo, com a Cetelem, e nos serviços financeiros, com empresas, como o Factoring e a Banca de investimento.

Recomendadas

Empresa espanhola de armamento recebeu carta semelhante à que explodiu na embaixada da Ucrânia

Uma empresa espanhola de armamento recebeu um envelope similar ao que foi enviado para a embaixada da Ucrânia em Madrid e que explodiu.

Atualização do IAS aumenta valor máximo do subsídio de desemprego em 93 euros

O valor máximo do subsídio de desemprego vai subir mais do que o previsto avançando 93 euros, para 1.201,08 euros, refletindo o aumento de 8,4% do Indexante de Apoios Sociais (IAS) em 2023.

Afinal, pensões mais baixas vão subir 4,83% em janeiro

Pensões até 961 euros vão ter aumento de 4,83%, pensões entre 961 euros e 2.883 euros vão subir 4,49% e pensões acima de 2.883 euros vão crescer 3,89%. Correção das atualização vai custar 110 milhões de euros, aos quais se somam os 1.155 milhões de euros já previstos.