BNP Paribas assinou um acordo para a aquisição da Kantox (com áudio)

O BNP Paribas anunciou em comunicado a assinatura de um acordo para a aquisição da Kantox, uma fintech líder para a automatização da gestão do risco cambial.

O BNP Paribas anunciou em comunicado a assinatura de um acordo para a aquisição da Kantox, uma fintech líder para a automatização da gestão do risco cambial.

“A solução de software da Kantox conseguiu reintegrar com sucesso o fluxo de trabalho FX Corporativo, oferecendo uma solução “one-stop-shop“, baseada em API, plug-and-play, que surgiu como uma tecnologia única dentro do sector de pagamentos transfronteiriços B2B”, explica o banco francês que tem uma sucursal em Portugal.

A tecnologia da Kantox, diz o BNP Paribas, “proporciona um nível incomparável de automatização e sofisticação às empresas na definição de estratégias de cobertura de risco”.

Esta aquisição reflete o plano de “Sustentabilidade Tecnológica de Crescimento 2025″ do BNP Paribas, que se propõe acelerar o desenvolvimento de inovações tecnológicas, melhorar a experiência do cliente e fornecer as melhores capacidades aos seus clientes”.

O BNP Paribas explica que devido ao seu modelo empresarial integrado, está “bem posicionado para acelerar e alargar a oferta da Kantox a uma vasta gama de clientes empresariais em todo o mundo”.

A aquisição da Kantox é apoiada pelo negócio Global Markets da divisão CIB do BNP Paribas e pelos centros de negócios da divisão Comercial, Pessoal e Serviços Bancários (CPBS). As duas divisões têm como objectivo a aplicação da tecnologia Kantox a grandes empresas bem como a clientes PMEs e Mid-Cap, capitalizando o conhecimento do mercado e a presença local do grupo.

Na nota, Philippe Gelis, CEO e cofundador da Kantox, diz que a parceria tecnológica começou em 2019. “Durante esses três anos, passámos muito tempo juntos no terreno, obtendo a oportunidade de compreender que juntos éramos mais fortes e capazes de trazer mais valor aos clientes. É o melhor de dois mundos, a empresa de software líder na categoria de automatização da gestão monetária e o banco líder na Europa”, refere.

Trata-se assim de um reforço de uma parceria entre o BNP Paribas e a Kantox. Olivier Osty, Diretor de Mercados Globais do BNP Paribas CIB, explica que essa parceria traz aos clientes “uma plataforma única e inovadora para automatizar a sua gestão do risco cambial. Os tesoureiros empresariais estão atualmente a navegar em mercados turbulentos e a tecnologia avançada pode ajudar a mitigar alguns dos desafios, aliviando o peso das tarefas manuais e permitindo-lhes concentrarem-se no seu negócio principal”.

“A aquisição da Kantox apresenta mais uma ilustração da nossa capacidade de estabelecer parcerias de longo prazo com fintechs numa gama cada vez maior de áreas. Apoiar os nossos clientes no seu desenvolvimento internacional e fornecer-lhes as soluções tecnológicas mais avançadas sempre foram a nossa prioridade e são como tal pilares fundamentais do nosso plano estratégico GTS 2025” defende Yann Gérardin, Chefe de Operações do BNP Paribas CIB.

Recomendadas

Montepio aumenta para 1,25 mil milhões a emissão de obrigações hipotecárias que vencem em 2026

Na prática, é um reforço da emissão, mas em concreto o banco liderado por Pedro Leitão anuncia a ficha de uma nova emissão de 750 milhões de euros que são fungíveis com os 500 milhões já emitidos, pelo que no final a emissão total sobe para 1.250 milhões de euros.

“Falar Direito”. “Diploma da renegociação cria ónus sobre bancos que têm crédito à habitação”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica quais são, na sua perspetiva, os dois principais problemas associados ao novo diploma relativo à renegociação de créditos.

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Ouça o “Falar Direito”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica o que muda para consumidores e banca com a entrada em vigor do novo diploma relativo à renegociação de créditos.
Comentários