BNP Paribas em Portugal reforça gestão ambiental em nome da sustentabilidade

O BNP Paribas em Portugal viu renovada a certificação ambiental obtida em 2017. Nos primeiros três anos, entre 2017 a 2019, foi possível obter uma redução de 15% no consumo de energia elétrica por colaborador; uma quebra de 66% no consumo de papel de impressão por colaborador; e menos 37% no consumo de água por colaborador.

Para reduzir a pegada carbónica também em Portugal, “uma vez que globalmente o BNP Paribas é Carbon Neutral desde 2017”, o BNP Paribas em Portugal viu renovada a certificação ambiental obtida em 2017 para dois edifícios onde desenvolve a sua atividade, alargar-se agora a quatro, abrangendo sete Entidades do Grupo.

Esta certificação, atribuída pela APCER, abrange todas as atividades, serviços e produtos do BNP Paribas, Securities Services, Personal Finance (que opera sob a marca Cetelem), Cardif, Leasing Solutions, Factor e ITP, nos edifícios ART’s, Gago Coutinho #26 e Torre Ocidente – Colombo, em Lisboa, e URBO, em Matosinhos.

A implementação do Sistema de Gestão Ambiental no BNP Paribas Securities Services, “a primeira Entidade do Grupo a ser certificada em Portugal, foi, na altura, um importante passo na forma como a organização gere os impactes ambientais diretamente causados pela utilização dos edifícios e cujos impactes têm vindo a diminuir desde então”, diz o banco em comunicado.

Nos primeiros três anos, entre 2017 a 2019, foi possível obter os seguintes resultados: -15% no consumo de energia elétrica por colaborador; -66% no consumo de papel de impressão por colaborador; -37% no consumo de água por colaborador.

“A certificação é o resultado de um forte planeamento estratégico nas áreas de negócio envolvidas, que passou pelo estudo do impacto ambiental sob a perspetiva do ciclo de vida dos produtos financeiros e a identificação dos riscos e oportunidades que as alterações climáticas representam para osseus negócios.”, destaca em comunicado Patrícia Freixo, Gestora de Ambiente do Grupo BNP Paribas Portugal.

Recomendadas

Espanhóis endinheirados invadem gestoras de fortuna com pedidos sobre como pôr o dinheiro em Portugal

Segundo o jornal espanhol Expansión, os bancos espanhóis estão a ser inundados com pedidos de análise e informação sobre os efeitos da mudança de residência fiscal e transferência de parte (ou totalidade) do património para outras jurisdições incluindo Portugal, devido aos aumentos de impostos que estão a ser implementados pelo governo espanhol.

Site e aplicação do BCP com acesso limitado

A aplicação móvel e o site do banco estão com acesso limitado esta segunda-feira. Fonte oficial confirma ao JE que o problema “está diagnosticado e o serviço deve ser restabelecido dentro em breve”.

APB promove Open Day na banca para ensinar jovens a poupar e investir

“Ao longo da semana, iremos realizar dois webinars destinados aos alunos do ensino secundário e profissional sobre as opções de investimento disponíveis para quem quer começar a investir e os cuidados a ter na contratação destes produtos online”, anuncia a Associação Portuguesa de Bancos.
Comentários