BNP Paribas em Portugal reforça gestão ambiental em nome da sustentabilidade

O BNP Paribas em Portugal viu renovada a certificação ambiental obtida em 2017. Nos primeiros três anos, entre 2017 a 2019, foi possível obter uma redução de 15% no consumo de energia elétrica por colaborador; uma quebra de 66% no consumo de papel de impressão por colaborador; e menos 37% no consumo de água por colaborador.

Para reduzir a pegada carbónica também em Portugal, “uma vez que globalmente o BNP Paribas é Carbon Neutral desde 2017”, o BNP Paribas em Portugal viu renovada a certificação ambiental obtida em 2017 para dois edifícios onde desenvolve a sua atividade, alargar-se agora a quatro, abrangendo sete Entidades do Grupo.

Esta certificação, atribuída pela APCER, abrange todas as atividades, serviços e produtos do BNP Paribas, Securities Services, Personal Finance (que opera sob a marca Cetelem), Cardif, Leasing Solutions, Factor e ITP, nos edifícios ART’s, Gago Coutinho #26 e Torre Ocidente – Colombo, em Lisboa, e URBO, em Matosinhos.

A implementação do Sistema de Gestão Ambiental no BNP Paribas Securities Services, “a primeira Entidade do Grupo a ser certificada em Portugal, foi, na altura, um importante passo na forma como a organização gere os impactes ambientais diretamente causados pela utilização dos edifícios e cujos impactes têm vindo a diminuir desde então”, diz o banco em comunicado.

Nos primeiros três anos, entre 2017 a 2019, foi possível obter os seguintes resultados: -15% no consumo de energia elétrica por colaborador; -66% no consumo de papel de impressão por colaborador; -37% no consumo de água por colaborador.

“A certificação é o resultado de um forte planeamento estratégico nas áreas de negócio envolvidas, que passou pelo estudo do impacto ambiental sob a perspetiva do ciclo de vida dos produtos financeiros e a identificação dos riscos e oportunidades que as alterações climáticas representam para osseus negócios.”, destaca em comunicado Patrícia Freixo, Gestora de Ambiente do Grupo BNP Paribas Portugal.

Recomendadas

A parceria que privilegia a economia social e as suas organizações ganha mais três anos

Daniel Traça, Dean da Nova SBE, e José Pena do Amaral, Consultor da Comissão Executiva e Membro da Comissão de Responsabilidade Social do BPI, explicam ao JE a originalidade da parceria Iniciativa para a Equidade Social, o que envolve e o que pretende alcançar. A parceria junta a Fundação “la Caixa”, o BPI e a Nova SBE.

Fundação ”la Caixa”, BPI e NOVA SBE renovam parceria de 2,2 milhões

Iniciativa para a Equidade Social vai prolongar-se por mais três anos, até 2024, segundo acordo assinado esta tarde na Nova SBE, em Carcavelos. A parceria tem como objetivo impulsionar o sector da economia social em Portugal, através de projetos de investigação e capacitação desenvolvidos por equipas académicas especializadas.

Bancários reformados avançam com “manif” para 6 de outubro e pedem fiscalização da constitucionalidade a Marcelo

Os sindicatos da banca filiados na UGT entregaram hoje ao Presidente da República o pedido de fiscalização sucessiva previsto na Constituição relativamente ao pacote legislativo de mitigação da inflação, atendendo à sua previsível inconstitucionalidade por não incluir a totalidade dos bancários reformados.
Comentários