Boeing suspende temporariamente produção do 737 MAX

Após a notícia de que a produção da aeronave estaria suspensa até 2020, a Boeing caiu 4,29% na Bolsa de Nova Iorque, com cada ação a fixar-se em 327 dólares. 

Justin Lane / EPA

A empresa Boeing suspendeu, ainda que temporariamente, a produção do avião 737 MAX, após a Administração Federal de Aviação (FAA, sigla inglesa) norte-americana revelar que não iria aprovar o regresso da aeronave aos céus antes de 2020.

“Devolver com segurança o 737 MAX ao serviço é a nossa principal prioridade”, sustentou a Boeing em comunicado, após a decisão da FAA ser conhecida. “Sabemos que o processo de aprovação do retorno ao serviço do 737 MAX e de determinação de requisitos de treinamento apropriados deve ser extraordinariamente completo e robusto, para garantir que os nossos reguladores, clientes e o público voador confiem nas atualizações do 737 MAX”, sublinhou o fabricante.

Após a notícia de que a produção da aeronave estaria suspensa até 2020, a Boeing caiu 4,29% na Bolsa de Nova Iorque, com cada ação a fixar-se em 327 dólares.

A aeronave 737 MAX, até meados deste ano o avião mais vendido da Boeing, esteve envolvido em dois acidentes fatais, que mataram um total de 346 passageiros. Após os dois acidentes, as transportadoras aéreas que tinham encomendas destas aeronaves cancelaram os pedidos e mais de 700 aviões do mesmo modelos estão parados em terra firme.

Esta é a primeira vez em 20 anos que a Boeing interrompe a produção do 737 MAX, e esta alteração pode apresentar repercussões significativas para a economia norte-americana, uma vez que este é, até à data, o maior exportador dos EUA em termos de manufaturação e a suspensão atinge ainda diversos fornecedores de todo o país.

O administrador da FAA garantiu ao diretor-executivo da Boeing que “o foco da empresa devia estar na qualidade e pontualidade dos envios de dados para a revisão da FAA”, sendo que os requisitos de certificação da autoridade de aviação devem estar completos antes do regresso ao serviço da aeronave. Com a investigação em curso, a aprovação para colocar as aeronaves 737 MAX podem durar até março.

 

Relacionadas

Regulador norte-americano previu que o Boeing 737 Max iria falhar 15 vezes

A aeronave em causa foi responsável pela morte de 346 pessoas na Indonésia e na Etiópia, mas os legisladores norte-americanos ainda estão a investigar os motivos desta fatalidade.

Ryanair vai encerrar duas bases e fazer cortes devido a atrasos da Boeing

A companhia aérea de baixo custo informou que vai alterar o seu calendário de voos para o verão de 2020 com o encerramento em março das bases de operações em Nuremberga (Alemanha) e em Skavsta (Suécia), ao mesmo tempo que vai também reduzir a capacidade de algumas das restantes bases.

Boeing espera retomar voos do 737 MAX no início de 2020

A Boeing anunciou hoje que prevê que os voos comerciais com aviões 737 MAX, retirados de circulação desde meados de março após dois acidentes que fizeram 346 mortos, recomecem no início do próximo ano e não em dezembro.

Problema numa asa obriga Boeing a deixar 50 aviões em terra

A empresa de aviação norte-americana encontrou uma zona junto da asa do modelo 737 NG, que é propensa a fissuras e já levou várias companhias a iniciarem as inspeções deste modelo.
Recomendadas

Premium“Somos a ótica das pessoas e que traz o know how francês”, diz CEO do grupo MonOpticien

Em entrevista ao JE, o CEO do grupo MonOpticien, Florent Carriére, explica o modelo de subscrição que traz para Portugal. “O meu concorrente não é a Multióticas, é a a Netflix e o Spotify”, sublinha.

Bancos da zona euro devolvem antecipadamente 447,5 mil milhões ao BCE

Este montante vem juntar-se aos quase 300 mil milhões de euros que foram reembolsados antecipadamente em 23 de novembro.

Região de Coimbra lança Academia Gastronómica para reforçar distinção europeia

A Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra vai promover, em 2023, um conjunto de iniciativas para reforçar o estatuto de Região Europeia de Gastronomia com que foi distinguida no biénio de 2021-2022.
Comentários