Bolsa abre no ‘verde’ com BCP a liderar ganhos

O petróleo está a negociar em alta com o brent a subir 1,55% para os 103,25 dólares e o crude a valorizar 1,67% para os 98,88 dólares.

Simon Dawson/Reuters

A bolsa de Lisboa abre no ‘verde’, com uma valorização de 0,96%, para os 6,175.29 pontos.

A maior subida vai para o Banco Comercial Português (BCP), que sobe 2,59% para os 0,1546 euros, depois de na passada quarta-feira ter apresentado lucros de 74,5 milhões de euros no primeiro semestre, face aos 12,3 milhões de período homólogo.

Os CTT valorizam 2,64% para os 3,31 euros, depois de ter apresentado lucros de 14,5 milhões de euros no primeiro semestre, o que corresponde a uma diminuição de 15,3% face ao período homólogo.

As principais bolsas europeias estão a valorizar com o DAX (Alemanha) a subir 0,48%, o FTSE 100 (Reino Unido) a subir 0,26%, o CAC 40 (França) a valorizar 0,59%.

O IBEX 35 (Espanha) quebra 0,56%.

A research da BA&N refere que o anúncio da reserva norte-americana que aumento das taxas de juro, em 0,75%, “está a impulsionar” as bolsas asiáticas e europeias.

O petróleo está a negociar em alta com o brent a subir 1,55% para os 103,25 dólares e o crude a valorizar 1,67% para os 98,88 dólares.

O euro está a valorizar face ao dólar com uma subida de 0,08% para os 1,02063 euros.

Atualizado às 10h40

Recomendadas

Bolsa de Lisboa encerra ‘no verde’ numa Europa em terreno misto. Galp avança mais de 3%

No mercado petrolífero, o brent está a avançar 0,08% para os 96,82 dólares, mas o crude está a descer 0,19% para os 90,61 dólares.

Wall Street abre mista. Farmacêutica Novavax tomba mais de 20%

Os investidores aguardam novos dados sobre a inflação norte-americana, que serão divulgados amanhã. Nas empresas, a pouca procura por vacinas penaliza as produtoras. A Norwegian Cruise também cai devido a receitas e ocupação dos barcos abaixo do esperado.

Bolsa de Lisboa recupera e segue sessão no ‘verde’ com Altri a liderar ganhos

O preço do barril de petróleo está a valorizar, com o brent a ganhar 0,90% para os 97,52 dólares e o crude a desvalorizar 0,71% para os 91,40 dólares.
Comentários