Bolsa abre no ‘verde’ com BCP a liderar ganhos

O petróleo volta a ser negociado em baixa com o brent a descer 0,27% para os 109,75 euros e o crude a desvalorizar 0,12% para os 104,14 euros.

A bolsa de Lisboa abriu no ‘verde’, valorizando 0,54%, para os 5,953.57 pontos.

A maior subida vai para o Banco Comercial Português (BCP), que valoriza 1,39% para os 0,1750 euros, seguido pelos CTT, que sobem 0,81% para os 3,10 euros, e a Navigator que valoriza 1,12% para os 3,80 euros.

Em quebra está a Sonae que cai 0,18% para os 1,12 euros e a Greenvolt que desce 0,15% para os 6,79 euros.

Na passada quinta-feira a Altri anunciou que vendeu todos os direitos de subscrição de ações da GreenVolt que tinha para o aumento de capital da empresa liderada por João Manso Neto.

As ações da Altri estão no neutro valendo 6,15%

As principais bolsas europeias estão a valorizar com o DAX (Alemanha) a subir 0,12%, o FTSE 100 (Reino Unido) a subir 0,51%, o CAC 40 (França) a valorizar 0,82%, e o IBEX 35 (Espanha) a subir 0,32%.

A research da BA&N salienta que a “descida acentuada das yields das obrigações na Europa e nos Estados Unidos da América, bem como a desvalorização das matérias-primas, está a suportar a tendência positiva das bolsas”.

“Esta recuperação não se deve propriamente a notícias positivas, já que está a ser motivada sobretudo pelos receios mais fortes de recessão. O mercado de dívida soberana registou uma forte subida na sessão de ontem, que se prolonga hoje com menor expressão, com os investidores a apostarem nas obrigações perante os sinais mais evidentes de forte travagem na economia global”, diz a BA&N.

A BA&N acrescenta que a recuperação das ações também “está a ser sustentada pelo recuo acentuado nos preços de várias matérias-primas, que reflete igualmente” os receios de recessão.

“Esta descida dos preços das matérias-primas alivia a pressão na evolução da inflação, o que se poderá traduzir numa menor agressividade dos bancos centrais na subida de juros”, reforça a research da BA&N.

O petróleo volta a ser negociado em baixa com o brent a descer 0,27% para os 109,75 euros e o crude a desvalorizar 0,12% para os 104,14 euros.

Atualizado às 09h05

Recomendadas

Wall Street fecha misto depois de um dia pouco definido

A maioria das ações dos principais índices dos Estados Unidos mantiveram-se indefinidos entre o verde e o vermelho. O histórico do primeiro semestre, que fecha esta quinta-feira, será dos piores em décadas.

EDP, NOS, Galp, CTT e BCP arrastam Lisboa para perdas. Europa em queda

“O corte das estimativas de crescimento económico para 2022 de 4% para 2,5%, por parte do governo francês e a revelação de que a inflação em Espanha, a quarta maior economia da zona euro, terá atingido um novo recorde em junho foram fatores adicionais de pressão para o mercado europeu”, refere o analista do BCP.

BlackRock defende que transição da economia para “zero emissões” implicará uma redistribuição massiva de ativos nas carteiras

A BlackRock considera que os preços de mercado ainda não refletem plenamente os riscos e as oportunidades da transição, acreditando que as empresas que estão mais preparadas para a transição e mais capazes de aproveitar as suas oportunidades devem continuar a beneficiar em relação às outras ao longo do tempo.
Comentários