Bolsa abre no ‘verde’ com Greenvolt a liderar ganhos

O petróleo está a negociar em alta com o brent a subir 2,88% para os 93,23 dólares e o crude valoriza 2,98% para os 86,44 dólares.

A bolsa de Lisboa abriu no ‘verde’, com uma valorização de 0,08%, para 5,777.07 pontos.

A maior subida vai para a Greenvolt, que valoriza 2,15% para os 9,01 euros, seguida pela Galp Energia, que cresce 1,15% para os 10 euros e a EDP Renováveis que sobe 0,64% para os 22,26 euros.

A crescer encontra-se também a Jerónimo Martins, REN, Navigator, Altri, Sonae.

No ‘vermelho’ destaca-se a Mota Engil que perde 1,19% para os 1,164 euros e o Banco Comercial Português (BCP) que desvaloriza 1,17% para os 0,1436 euros.

CTT, Semapa, Corticeira Amorim estão também em perda.

As principais bolsas europeias estão em perda. O DAX (Alemanha) desce 0,65%, o CAC 40 (França) desvaloriza 0,52%, e o IBEX 35 (Espanha) perde 0,24%.

O FTSE 100 (Reino Unido) valoriza 0,30%.

A research da BA&N salienta que os investidores estão a “acentuar a aversão ao risco devido à ansiedade” com a decisiva reunião desta quarta-feira da Fed e em reação ao discurso ao país do presidente da Rússia, Vladimir Putin.

“Se o banco central acentuar o discurso “hawkish”, sugerindo que o ritmo de agravamento de juros deve persistir
nas próximas reuniões, as ações e obrigações devem acentuar o movimento negativo. Pelo contrário, qualquer sinal “dovish” que seja acompanhado por previsões económicas benignas, deve motivar um “rally””, refere a BA&N.

O petróleo está a negociar em alta com o brent a subir 2,88% para os 93,23 dólares e o crude valoriza 2,98% para os 86,44 dólares.

O euro está em perda face ao dólar com uma descida de 0,63% para os 0,99076 euros.

Atualizado às 09h56

Recomendadas

‘Green bonds’. EDP avança com nova emissão de 500 milhões

Em menos de 24 horas, a EDP anuncia que vai aos mercados buscar mil milhões para financiar projetos de energias renováveis.

CMVM: “É notório o crescimento da divergência dos padrões de poupança das famílias portuguesas”

“A poupança de longo prazo exige disciplina e empenho além de, naturalmente, um nível de rendimento que permita poupar. Esta combinação de condições ajuda a explicar o baixo nível de poupança em Portugal e em outros países que nos são próximos”, reconhece Rui Pinto.

“A Reserva Federal tem corrido atrás do prejuízo”. Veja o “Mercados em Ação”

A Fed reuniu de emergência na segunda-feira. Esta semana no “Mercados em Ação”, o subdiretor do JE, André Cabrita-Mendes, juntamente com Marco Silva, consultor de estratégia e investimento, e Nuno Sousa Pereira, da Sixty Degrees, analisam os efeitos das próximas decisões do banco central norte-americano.
Comentários