Bolsa abre no vermelho em contraciclo com Europa

O PSI 20, principal índice da bolsa portuguesa, abriu a sessão em queda de 0,37% para 5.253,91 pontos, pressionada pelo grupo EDP, e em contraciclo com os ganhos que dominam no resto da Europa. Acredita-se que a situação política – o Governo, liderado por Passos Coelho, deverá cair esta tarde no Parlamento, após a votação […]

O PSI 20, principal índice da bolsa portuguesa, abriu a sessão em queda de 0,37% para 5.253,91 pontos, pressionada pelo grupo EDP, e em contraciclo com os ganhos que dominam no resto da Europa.

Acredita-se que a situação política – o Governo, liderado por Passos Coelho, deverá cair esta tarde no Parlamento, após a votação pelos partidos de esquerda de uma moção de rejeição – esteja a influenciar o desempenho do mercado, que ontem teve a terceira maior queda do ano.

Num dia negativo em toda a Europa, o PSI 20 fechou, ontem, a perder 4,05% para 5.273,32 pontos, empurrado fundamentalmente pelo setor financeiro: o Banif caiu 10,71% para 0,002 euros, o BCP perdeu 9,49% para 0,04 euros, o BPI desvalorizou 8,91% para 1,02 euros.

Hoje, na abertura, o BCP recupera da descida de ontem, subindo 0,63% para 4,8 cêntimos. Já o BPI desce 0,29% para 1,019 euros e o Banif cai 4% para 0,24 cêntimos.

A pior performance na abertura é dada pelo grupo EDP, com esta empresa a perder 1,20% para 3,211 euros, e a EDP Renováveis a 0,90% para 6,244 euros.

OJE

Recomendadas

Reserva Federal volta a ‘dar a mão’ a Wall Street

Tal como sucedeu na semana passada, a Fed teve de insistir na diminuição do ritmo da subida das taxas de juro para alavancar um dia que acabou por ser positivo. O mercado está a precisar da atenção do banco central.

Reserva Fedrela diz que aumento das taxas de juro pode desacelerar em dezembro

O presidente da Reserva-Feral norte-americana, Jerome Powell, considerou esta quarta-feira, ser provável que o aumento das taxas de juro possa desacelerar já em dezembro. Mas os valores vão permanecer altos.

Energia dá impulso à Bolsa de Lisboa. Europa fecha no verde em dia marcado pela inflação

O mercado esperava que a inflação do IPC na zona do euro desacelerasse de 10,6% em Outubro para 10,4% em Novembro (variação anual). A leitura real mostrou uma desaceleração para 10,0% num ano. Os juros soberanos sobem. As ações também.