Bolsa abre no vermelho em linha com Europa

O PSI 20 abriu a semana a cair, em linha com as principais bolsas europeias, numa altura em que os investidores continuam expectantes face às próximas decisões da Fed sobre a subida dos juros.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O PSI 20, principal índice da bolsa portuguesa, abriu a semana a cair, em linha com as principais bolsas do resto da Europa, numa altura em que os investidores continuam expectantes face às próximas decisões da Reserva Federal (Fed) norte-americana sobre a subida dos juros.

Na abertura, o índice português caia 0,11% para 5.302,20 pontos, com a maioria das empresas a registar oscilações pouco acentuadas.

Do lado das empresas que contribuem para a descida do índice destaque para as cotadas do setor do retalho. A Jerónimo Martins desvaloriza 0,38% para 12,945 euros e a Sonae SGPS perde 0,36% para 1,094 euros.

Do lado das subidas, destaque para o BCP, que aprecia 0,21% para 4,88 cêntimos e o Banif, que ganha 4,17% para 0,25 cêntimos.
No setor da energia, o comportamento é misto. A EDP cai 0,33% para 3,319 euros, a Galp Energia perde 0,03% para 9,55 euros e a REN desvaloriza 0,34% para 2,61 euros. Já a EDP Renováveis segue inalterada nos 6,371 euros.

OJE

Recomendadas

Reserva Fedrela diz que aumento das taxas de juro pode desacelerar em dezembro

O presidente da Reserva-Feral norte-americana, Jerome Powell, considerou esta quarta-feira, ser provável que o aumento das taxas de juro possa desacelerar já em dezembro. Mas os valores vão permanecer altos.

Energia dá impulso à Bolsa de Lisboa. Europa fecha no verde em dia marcado pela inflação

O mercado esperava que a inflação do IPC na zona do euro desacelerasse de 10,6% em Outubro para 10,4% em Novembro (variação anual). A leitura real mostrou uma desaceleração para 10,0% num ano. Os juros soberanos sobem. As ações também.