Bolsa de Lisboa abre a subir numa Europa mista

O PSI 20, principal índice da bolsa portuguesa, abriu a sessão em terreno positivo. No resto da Europa, os mercados bolsistas arrancaram mistos, com os investidores expectantes quanto ao resultado da reunião de hoje do do conselho de governadores do Banco Central Europeu. Espera-se um reforço ou uma recomposição do programa de estímulos do BCE. […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O PSI 20, principal índice da bolsa portuguesa, abriu a sessão em terreno positivo. No resto da Europa, os mercados bolsistas arrancaram mistos, com os investidores expectantes quanto ao resultado da reunião de hoje do do conselho de governadores do Banco Central Europeu.

Espera-se um reforço ou uma recomposição do programa de estímulos do BCE.

Em Lisboa, o índice abriu a subir o,24% com a maioria das empresas em terreno positivo. Os principais contributos para este desempenho estão a ser dados pela Galp Energia e pela NOS.

A operadora abriu a ganhar 0,8%, beneficiando do acordo de compra dos direitos de transmissão televisiva dos jogos do Benfica, no valor de 400 milhões de euros.

A Galp Energia também se destaca numa manhã em que os preços do petróleo sobem pela primeira vez em seis sessões. A OPEP reúne na próxima sexta-feira, havendo a expectativa de que possa ser decidido um corte nos atuais níveis de produção.

OJE

Recomendadas

Reserva Federal volta a ‘dar a mão’ a Wall Street

Tal como sucedeu na semana passada, a Fed teve de insistir na diminuição do ritmo da subida das taxas de juro para alavancar um dia que acabou por ser positivo. O mercado está a precisar da atenção do banco central.

Reserva Fedrela diz que aumento das taxas de juro pode desacelerar em dezembro

O presidente da Reserva-Feral norte-americana, Jerome Powell, considerou esta quarta-feira, ser provável que o aumento das taxas de juro possa desacelerar já em dezembro. Mas os valores vão permanecer altos.

Energia dá impulso à Bolsa de Lisboa. Europa fecha no verde em dia marcado pela inflação

O mercado esperava que a inflação do IPC na zona do euro desacelerasse de 10,6% em Outubro para 10,4% em Novembro (variação anual). A leitura real mostrou uma desaceleração para 10,0% num ano. Os juros soberanos sobem. As ações também.