Bolsa de Lisboa encerra sessão com ganhos ligeiros numa Europa dividida

Entre as cotadas que mais ganharam está a Altri, que avançou 1,74% para 5,55 euros, seguida da Mota Engil que valorizou 1,14% para 1,244 euros e Galp Energia +1,09% para 11,59 euros. A NOS termina o dia flat.

A bolsa de Lisboa encerrou a sessão desta terça-feira em terreno positivo, a somar 0,20% para 5.830,42 pontos, em linha com as congéneres francesa e britânica.

Entre as cotadas que mais ganharam está a Altri, que avançou 1,74% para 5,55 euros, seguida da Mota Engil que valorizou 1,14% para 1,244 euros e Galp Energia +1,09% para 11,59 euros. A NOS termina o dia flat.

Por outro lado, entre as cotadas que mais perderam está EDP Renováveis, que cedeu 1,90% para 21,73 euros, a Semapa, que caiu 1,82% para 14,04 euros e a Greenvolt, que recuou 0,76% para 7,81 euros.

Quanto às congéneres europeias, o alemão DAX perdeu 0,19%, o espanhol IBEX 35 permaneceu estável, o francês CAC 40 avançou 0,06%  e o britânico FTSE 100 somou 0,53%.

Sobre o encerramento de mercados o analista de mercados do Millenium BCP, Ramiro Loureiro apontou que “os mercados europeus encerram divididos, num dia marcado pelas leituras do índice de preços no consumidor da Alemanha e de Espanha, que revelaram um alívio das pressões inflacionistas e mesmo uma descida sequencial em novembro, um dado que pareceu não conferir grandes ânimos entre os investidores”.

“O dia foi também marcado pelos pela indicação na China de que o governo de Xi Jinping poderá aliviar algumas restrições pandémicas, trazendo esperanças de uma abertura económica mais cedo que o anteriormente previsto, o que impulsionou os preços das principais matérias-primas, levando o setor de Recursos Naturais ao pódio”, frisou o especialista.

O preço do barril de petróleo está a valorizar, com o brent a ganhar 0,86%% para os 84,61 dólares e o crude a avançar 1,39% para os 78,31 dólares.

No mercado cambial, o euro está a ter uma valorização de 0,10% face ao dólar, para os 1,0347 euros.

Recomendadas

Fed conseguiu o esperado milagre de agradar a Wall Street

No dia em que a Reserva Federal deu mostras de moderação no aumento das taxas de juro, o mercado de capitais respondeu pela positiva, como não podia deixar de ser – com o Nasdaq a comandar. Resta saber quanto tempo durará o momento.

EUA: Powell reconhece primeiros sinais de alívio na inflação, mas é “prematuro declarar vitória”

O presidente da Fed afastou cortes de juros este ano, embora admita que a inflação começa a dar sinais de abrandamento. O caminho ainda é longo e a ‘aterragem suave’ continua em cima da mesa, tal como uma taxa terminal abaixo de 5%.

EUA: Reserva Federal abranda ritmo de subida dos juros com mais 25 pontos base

O mercado já antecipava esta decisão, dado o abrandamento da inflação nos últimos meses, mas a mensagem da Fed tem sido agressiva, sinalizando que o processo está ainda longe de concluído.
Comentários