Bolsa de Lisboa fecha em queda puxada pela queda de 4% da EDPR e apesar da subida da Galp

A Bolsa de Lisboa fechou em terreno negativo acompanhando a tendência dominante da Europa, que fechou em queda com exceção de Madrid e Milão. Por cá a EDP Renováveis tombou 4,04% e em sentido oposto a Galp subiu quase 2%. As dívidas soberanas agravam.

Daniel Munoz/Reuters

O PSI-20 fechou em queda de 0,85% para 5.441,39 pontos com a maioria dos títulos em queda. Em contraciclo com a maioria das ações do índice esteve a Galp que valorizou 1,95% para 8,352 euros na sequência do anúncio da parceria entre a Galp e a Northvolt para um investimento de 700 milhões de euros em projeto de lítio em Portugal. A EDP Renováveis tombou 4,04% para 20,9 euros.

Das 19 cotadas 13 sofreram perdas, cinco fecharam no verde e a Semapa inalterada.

As cotadas de energia foram das que mais caíram. Para além da EDPR, a Greenvolt caiu 2,54%, fechando nos 6,15 euros. Também a REN recuou 1%, para 2,475 euros, e a EDP desceu 0,32%, encerrando nos 4,724 euros.

A Corticeira Amorim recuou 2,16% para 10,86 euros; a Ramada perdeu 3,03% para 7,04 euros;

A pesar no índice esteve também a Jerónimo Martins com uma queda de 1,46%, até aos 20,23 euros.

O BCP foi outra das grandes cotadas a fechar em queda de 0,14%, para os 13,82 cêntimos.

Já pela positiva, destacou-se, para além da galp, a NOS (+0,87% para 3,48 euros), a Sonae (+0,41% para 0,97 euros), a Navigator (+0,37% para 3,27 euros) e CTT (+0,12% subiu 4,255 euros).

As principais praças europeias encerram em baixa, com o índice espanhol IBEX a ser a exceção, impulsionado pela Inditex e Telefónica.

O EuroStoxx 50 caiu 0,87% para 4.146,8 pontos e o Stoxx 600 recuou 0,71%.

O analista de mercados do Millennium investment banking, Ramiro Loureiro explica que o “turnover mais baixo do que o normal no Euro Stoxx 50, -22,05% em relação à média das últimas 20 sessões, pode significar que os investidores estão cautelosamente a aguardar pelas importantes decisões dos bancos centrais, com a FED a pronunciar-se amanhã pelas 19h e o Bank of England e BCE na quinta-feira”.

O setor de Recursos Naturais “liderou os ganhos no universo Stoxx600, impulsionado pela valorização da ArcelorMittal. A Banca também foi destaque pela positiva, animada com a subida das yields de divida soberana”, explicou o analista. A dívida a 10 anos da Alemanha agrava 1,48 pontos base para -0,37%. Já dívida pública portuguesa sobe 1,05 pontos base para 0,26%. Espanha e Itália com os juros em alta de 2,19 e 2,58 pontos base, respetivamente, para 0,33% e 0,93%.

O FTSE 100 caiu 0,18% para 7.218,6 pontos; o CAC 40 recuou 0,69% para 6.895,3 pontos; e o DAX tombou 1,08% para 15.453,6 pontos e liderou as perdas na Europa. Isto, um dia depois de a ministra dos Negócios Estrangeiros alemã, Annalena Baerbock, ter dito que o gasoduto Nord Stream 2, uma parceria russo-alemã, não cumpre de momento os requisitos para que seja autorizado o início do seu funcionamento. Em paralelo, a nova chefe da diplomacia de Berlim assegurou na noite de domingo que o Nord Stream 2 não será autorizado a funcionar em caso de uma nova “escalada” na Ucrânia devido a um acordo de princípio concluído entre Berlim e Washington.

Em alta subiram o FTSE MIB (+0,02% para 26.556,7 pontos) e o IBEX ganhou 0,67% para 8.378,5 pontos.

À hora do fecho europeu as bolsas norte-americanas recuavam, com as perdas a atingirem os 1,8% no Nasdaq 100, após a revelação de que os preços no produtor norte-americano aumentaram mais que o previsto em novembro, efeito que a passar para o consumidor pode gerar maior pressão sobre a inflação, dando maior relevo às decisões da Fed, realça o analista do BCP

A nível macroeconómico, o Índice de Produção Industrial do Eurostat revela que em outubro de 2021, a produção no Sector Industrial registou variações de -6,5% em Portugal, 3,3% na Zona Euro e 3,6% na UE27, em termos homólogos.

O petróleo Brent tomba 2,11% no mercado de Londres para 72,82 dólares. Nesta altura o crude WTI acompanha com uma queda de 2,26% para 69,68 dólares.

O euro deprecia 0,10% para 1,1273 dólares.

Recomendadas

Wall Street abre a negociar no ‘verde’. Nasdaq que soma mais de 1,50%

A bolsa de Nova Iorque abre em “sintonia com o sentimento positivo nas congéneres europeias” fruto “da leitura preliminar das encomendas de bens duradouros”.

Bolsa de Lisboa segue sessão no ‘verde’ com apenas duas cotadas em terreno negativo

As principais bolsas europeias estão em terreno misto, com o DAX (Alemanha) a valorizar 0,79%, o CAC 40 (França) a ganhar 0,76% e o IBEX 35 (Espanha) a crescer 0,22%, enquanto o FTSE 100 (Reino Unido) desvaloriza 0,10%.

Bolsa de Lisboa abre em alta numa manhã positiva para os mercados europeus

O PSI iniciou a sessão desta terça-feira em terreno positivo, estando a ganhar 1,29% para 5.485,53 pontos numa manhã serena para a generalidade das praças europeias. A Greenvolt e a Altri estão em destaque esta manhã ao valorizarem, respetivamente, 1,77% para 8,61 euros e 2,42% para 5,12 euros. Ainda no mercado energético, a Energias de […]
Comentários