Bolsa de Lisboa recua para terreno negativo contrariando subida das principais bolsas europeias

No mercado cambial, o euro está a ter uma desvalorização de 0,30% face ao dólar, para os 1,0130 dólares.

A Bolsa de Lisboa (PSI) encontra-se a meio da sessão desta terça-feira no ‘vermelho’, a desvalorizar 0,11%, para 6.187,90 pontos, contrariamente às principais bolsas europeias que seguem todas no ‘verde’.

A Jerónimo Martins lidera nas perdas, desvalorizando 2,64%, com as suas ações a valerem 22,10 euros, seguida dos CTT, que perdem 0,74% para os 3,36 euros, enquanto a Semapa cai 0,41% para os 14,50 euros.

A Altri lidera nos ganhos, a valorizar 1,16% com as suas ações a valerem 5,67 euros, seguida da Galp, que ganha 0,62% para os 10,47 euros, enquanto o BCP valoriza 0,60% para os 0,1512 euros.

A EDP também segue a sessão a ganhar 0,55%, com as suas ações a valerem 5,07 euros.

A ações da Corticeira Amorim e da Nos SGPS mantêm-se inalteradas, a valerem 10,50 euros e 3,72 euros. respetivamente.

As principais bolsas europeias estão todas em terreno positivo, com o DAX (Alemanha) a ganhar 0,62%, o FTSE 100 (Reino Unido) a valorizar 0,55%, o CAC 40 (França) a crescer 0,36% e o IBEX 35 (Espanha) a ganhar 0,90%.

O analista de mercados do Millenium BCP, Ramiro Loureiro, destaca que “os principais índices europeus mantêm a tendência da abertura, apesar do agravamento da situação energética, com os preços dos contratos forward de eletricidade na Alemanha a atingirem novos máximos, ultrapassando os 500 euros por MWh, e com outros países a registarem aumentos significativos na subida dos preços de eletricidade, como França, Itália, e também o Reino Unido, que trazem pressão sobre os custos operacionais das empresas, como o caso da Nyrstar, a maior empresa do mundo a no segmento de Zinco, que anunciou hoje de manhã que irá encerrar operações devido aos crescentes custos de energia”.

Em termos sectoriais, o de Recursos Naturais e o de Utilities são dos que mais valorizam, com a subida generalizada dos preços das matérias-primas.

O analista dá destaque também “para o sector de Telecomunicações, liderado pela espanhola Telefonica que sobe mais de 2%, e para o sector da banca, que também segue em alta com a subida das yields, que impulsiona os principais bancos alemães e espanhóis, impulsionando o IBEX que lidera na Europa”.

Ramiro Loureiro frisa que do outro lado do espetro, o sector de Imobiliário é o que mais desvaloriza, penalizado pelos dados do mercado imobiliário divulgados ontem em Wall Street. Em termos empresariais, a Pandora tomba 7,5% depois de apresentar resultados. Já a Delivery Hero dispara mais de 10% depois de reiterar Outlook.

O preço do barril de petróleo está a desvalorizar, com o brent a perder 1,18% para os 93,98 dólares e o crude a desvalorizar 0,83% para os 88,67 dólares.

No mercado cambial, o euro está a ter uma desvalorização de 0,30% face ao dólar, para os 1,0130 dólares.

Recomendadas

Wall Street regressa aos ganhos a meio da semana

A Apple destacou-se esta quarta-feira por afundar mais de 4%, na sequência de a gigante liderada por Tim Cook ter posto na gaveta o seu plano para aumentar a produção dos seus novos iPhones, mas as ações acabaram por encerrar a sessão com uma perda de pouco mais de 1%.

BCP cai 5% e arrasta bolsa de Lisboa para terreno negativo numa Europa mista

“O índice nacional esteve pressionado pela queda de 5% do BCP, numa sessão onde o setor Bancário demonstrou a pior performance na Europa”, escreveu o analista do Millennium BCP, Ramiro Loureiro, na sua análise de fecho de mercados.

CMVM publica cinco decisões de contraordenação, incluindo a coima de 75 mil euros à Orey Antunes

Na base das decisões da CMVM estão três processos por violação de deveres de atuação dos auditores. O processo contra a Orey Antunes por não ter divulgado os documentos de prestação de contas anuais e um processo por violação de deveres dos intermediários financeiros.
Comentários