Bolsa de Lisboa segue no ‘vermelho’ com Altri a cair mais de 3%

As principais bolsas europeias estão em terreno misto, com o IBEX 35 (Espanha) a cair 0,62% e o CAC 40 (França) a desvalorizar 0,41%, enquanto o FTSE 100 (Reino Unido) a ganha 0,08% e o DAX (Alemanha) valoriza 0,01%.

A Bolsa de Lisboa encontra-se a meio da sessão desta quinta-feira em terreno negativo, desvalorizando 0,40% para 5.766,82 pontos.

A Altri lidera nas perdas, a desvalorizar 3,47%, com as suas ações a valerem 5,70 euros, seguida dos CTT, que perdem 2,64% para os 3,13 euros, enquanto a Mota Engil desvaloriza 1,76% para os 1,226 euros.

A Jerónimo Martins também está a cair 1,52% para os 20,74 euros, enquanto o BCP perde 0,14% para os 0,1452 euros.

A Greenvolt lidera nos ganhos, valorizando 1,35%, com as suas ações nos 8,23 euros, seguida da EDP Renováveis, que ganha 0,74% para os 21,76 euros, enquanto a EDP cresce 0,41% para os 4,44 euros. A Galp também está a ganhar 0,36% para os 11,08 euros.

As principais bolsas europeias estão em terreno misto, com o IBEX 35 (Espanha) a cair 0,62% e o CAC 40 (França) a desvalorizar 0,41%, enquanto o FTSE 100 (Reino Unido) a ganha 0,08% e o DAX (Alemanha) valoriza 0,01%.

O analista de mercados do Millenium BCP, Ramiro Loureiro, destaca que as bolsas europeias seguem divididas entre os ganhos ligeiros do DAX e as perdas em torno dos 0,5% dos índices ibéricos.

“Os holofotes estão todos voltados para os dados de inflação dos EUA que são difundidos pelas 13h30 (hora de Lisboa), que têm forte impacto nas decisões de subida de juros da Fed. O mercado espera que tenha havido um alívio em outubro, para os 7,9% em outubro”, aponta.

Ramiro Loureiro realça que o sector das Utilities valoriza quase 1%, com a RWE em bom plano, depois de ter revelado lucros acima do esperado, impulsionados pelos elevados preços de energia. Continental e Rheinmetall estão entre as boas performances europeias. Já o sector Imobiliário é o mais castigado, com a LEG Immobilien a tombar mais de 8%, em reação ao anúncio de uma nova política de dividendos. A indicação de que o preço das casas no Reino Unido desceu 2% em outubro, quando era previsto um aumento de 19% é outra condicionante.

“A Teleperformance tomba mais de 30% e é a empresa que mais recua no Stoxx 600, perante investigações por parte do Ministério do Trabalho da Colômbia sobre a operadora francesa de call center, por supostas violações dos direitos laborais”, diz ainda..

O preço do barril de petróleo está a desvalorizar, com o brent a perder 0,39% para os 92,29 dólares e o crude a recuar 0,56% para os 85,35 dólares.

No mercado cambial, o euro está a ter uma desvalorização de 0,67% face ao dólar, para os 0,9944 euros.

[Atualizada às 12h20]

Recomendadas

PSI no ‘verde’ no início da sessão em linha com praças europeias

No mercado petrolífero, o brent sobe 0,80% para 84,92 dólares e o crude avança 0,72% para 78,76 dólares.

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quarta-feira

Portugal tem mostrado algum atraso em relação ao resto da zona euro no que respeita à pressão nos preços, continuando numa dinâmica de aceleração que se estende ao indicador subjacente, levantando mais preocupações quanto à duração e extensão do fenómeno na economia nacional.

Terceiro dia consecutivo de perdas em Wall Street. S&P 500 e Nasdaq derrapam

As ações da bolsa norte-americana encerraram a sessão em queda, pelo terceiro dia consecutivo. O empresarial S&P 500 e o tecnológico Nasdaq derraparam e apenas a indústria salvou Wall Street de uma terça-feira pintada a ‘vermelho’.
Comentários