Bolsa de Lisboa segue sessão no ‘verde’ com BCP a valorizar mais de 5%

A Altri é a única cotada que está a desvalorizar, caindo 0,10%, com as suas ações a valerem 5,18 euros.

A Bolsa de Lisboa encontra-se a meio da sessão desta terça-feira em terreno positivo, a valorizar 1,62% para 5.485,96 pontos, com o BCP a crescer mais de 5%.

O BCP lidera nos ganhos, a valorizar 5,11%, com as suas ações a valerem 0,1295 euros, seguido da Jerónimo Martins, que ganha 2,76% para os 19,38 euros, enquanto a Sonae cresce 2,37% para os 0,8630 euros.

A Galp também está a valorizar 0,45% para os 10,07 euros e a EDP ganha 0,35% para os 4,57 euros.

A Altri é a única cotada que está a desvalorizar, caindo 0,10%, com as suas ações a valerem 5,18 euros.

As ações da The Navigator mantêm-se inalteradas nos 3,56 euros.

As principais bolsas europeias também estão todas no ‘verde’, com o CAC 40 (França) a ganhar 3,43%, o DAX (Alemanha) a valorizar 3,02%, o IBEX 35 (Espanha) a crescer 2,78 e o FTSE 100 (Reino Unido) a avançar 1,97%.

O analista de mercados do Millenium BCP, Ramiro Loureiro, destaca que este é mais um dia de otimismo nas bolsas, com os principais índices de ações a registarem ganhos na ordem dos 3%, prolongando assim a recuperação de ontem.

“Após três semanas consecutivas de queda tanto na Europa como em Wall Street, provocada pela agressividade dos bancos centrais na subida de juros e pela persistência da inflação em níveis elevados, os investidores tentam avaliar se a dimensão da descida nos mercados já reflete as perspetivas económicas mais fracas”, indica.

Ramiro Loureiro aponta que, “deste ponto de vista, o facto dos dados de atividade industrial revelados ontem em ambos os lados do Atlântico terem ficado aquém do previsto parecem curiosamente ter dado ânimo, pois fizeram acreditar que desta forma em especial a Fed pode tornar-se menos agressiva na subida de juros. Resta saber se o movimento se trata de uma recuperação de curto prazo ou se há sustentabilidade, sendo que para tal ainda falta aos índices encontrarem força para inverterem as tendências negativas deste ano”.

Entretanto, o analista realça que foi revelado que os preços no produtor da Zona Euro aumentaram 43,3% em agosto face a igual mês de 2021, um disparo histórico, mas que estava já a ser antecipado pelos analistas.

“No exterior, o sector de Bens de Luxo tem Kering, Hermes e LVMH a valorizarem mais de 4%. Já a Reinmetall, empresa do ramo da defesa que até tem sido uma das mais beneficiadas desde o início da guerra na Ucrânia, estava a ser castigada por rumores de atraso num contrato na Austrália”, diz, por fim.

O preço do barril de petróleo está a valorizar, com o brent a subir 0,88% para os 89,64 dólares e o crude a ganhar 0,65% para os 84,17 dólares.

No mercado cambial, o euro está a ter uma valorização de 0,75% face ao dólar, para os 0,9898 euros.

Recomendadas

Wall Street começa semana em terreno negativo

O Dow Jones começou o dia em Wall Street a perder 0,23% para 34.269,38 pontos, o S&P 500 a ceder 0,59% para 4.002,33 pontos e o tecnológico Nasdaq a recuar 0,38% para 11.183,44 pontos. 

PSI no ‘vermelho’ a meio da sessão pressionado pela energia

A EDP Renováveis perde 2,83% para 21,95 euros, a EDP recua 1,92% para 4,39 euros, a Galp desvaloriza 1,95% para 11,29 euros e a Greenvolt cai 2,35% para 7,90 euros.

Santander lança fundo de investimento social em parceria com a ONG do Bono e Bobby Shriver (com áudio)

O Banco Santander, através da SAM, celebrou uma aliança com a (RED), a ONG cofundada por Bono e Bobby Shriver para angariar fundos destinados ao combate à SIDA. O fundo doará 15% da sua comissão de gestão para promover projetos. O fundo começou a ser comercializado em Espanha, Portugal, Reino Unido, Alemanha, Chile e nos centros nos quais opera o Santander Private Banking Internacional.
Comentários