Bolsa de Lisboa segue sessão no ‘vermelho’ em linha com principais bolsas europeias

A Galp lidera nas perdas, desvalorizando 1,95% com as suas ações a valerem 3,27 euros, seguida da Galp, que perde 1,66% para os 9,96 euros, enquanto o BCP desvaloriza 1,33% para os 0,1413 euros.

A Bolsa de Lisboa (PSI) encontra-se a meio da sessão desta terça-feira no ‘vermelho’, a desvalorizar 0,56%, para 6.063,01 pontos, em linha com as principais bolsas europeias.

A Galp lidera nas perdas, desvalorizando 1,95% com as suas ações a valerem 3,27 euros, seguida da Galp, que perde 1,66% para os 9,96 euros, enquanto o BCP desvaloriza 1,33% para os 0,1413 euros. A EDP está a perder 0,34% com as suas ações a valerem 4,96 euros.

A Altri lidera nos ganhos, valorizando 0,96%, com as suas ações a valerem 5,25 euros, seguida da Greenvolt, que ganha 0,91% para os 8,92 euros, enquanto a Jerónimo Martins valoriza 0,44% para os 22,80 euros.

As ações da REN mantêm-se inalteradas, a valerem 2,785 euros.

As principais bolsas europeias também estão em terreno negativo, com o DAX (Alemanha) a perder 0,86%, o FTSE 100 (Reino Unido) a desvalorizar 0,03% e o CAC 40 (França) a perder 0,72%e o IBEX 35 (Espanha) a desvalorizar 0,16%.

O analista de mercados do Millenium BCP, Ramiro Loureiro, destaca que os principais índices de ações europeus negoceiam em baixa esta manhã, “com os investidores a monitorizarem a visita de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, a vários países asiáticos e que deve desembarcar em Taiwan na noite de terça-feira, desafiando as ameaças chinesas”.

“A China, que considera Taiwan como parte do seu território, ameaça uma resposta militar a qualquer visita de Pelosi que possa desencadear uma crise entre os países. A queda relativamente acentuada das praças asiáticas na última sessão acaba por condicionar setores como o Tecnológico, que segue entre as maiores perdas. O de Viagens & Lazer é o que mais recua”, aponta o analista.

Ramiro Loureiro sublinha que num dia sem indicadores macroeconómicos e grande relevo nos mercados, “algum flow empresarial vai ditando variações mais expressivas, como a valorização da BP em reação aos lucros e que a levam a prometer um aumento de dividendo e recompra de ações e a subida de avaliação que puxa pela Delivery Hero”.

“Nas matérias primas a escalada dos preços do gás para entrega na Europa, aproximando-se do pico de março, é um dos focos”, frisa ainda.

O preço do barril de petróleo está a desvalorizar, com o brent a perder 0,34% para os 99,69 dólares e o crude a desvalorizar 0,44% para os 93,48 dólares.

No mercado cambial, o euro está a ter uma desvalorização de 0,27% face ao dólar, para os 1,0233 dólares.

Recomendadas

Wall Street encerra sessão apenas com Dow Jones no verde

As ações valorizaram nas negociações da abertura, mas perderam intensidade à medida que o dia avançou. 

Bolsa de Lisboa encerra no ‘verde’ com Greenvolt a liderar nos ganhos

O preço do barril de petróleo está a subir, com o brent a avançar 1,26% para os 96,12 dólares e o crude a subir 1,02% para os 90,11 dólares.

Emissões de títulos excederam amortizações em 1.783 milhões de euros em junho

De acordo com o Banco de Portugal, “o sector financeiro foi o que mais contribuiu para este resultado”, com as emissões de títulos a excederem as amortizações em 1.556 milhões de euros.
Comentários