Bolsa no vermelho. Banif toca novo mínimo histórico

Depois de ter recuperado algum terreno na sexta-feira, o Banif segue a negociar nos 0,0010 euros, impactando uma queda de 27,27%, ainda assim significativamente melhor do que o registado no início da sessão. O banco liderado por Jorge Tomé arrancou a afundar 56,36% para 0,0006 euros, um novo mínimo histórico. Os investidores continuam a apostar […]

Depois de ter recuperado algum terreno na sexta-feira, o Banif segue a negociar nos 0,0010 euros, impactando uma queda de 27,27%, ainda assim significativamente melhor do que o registado no início da sessão. O banco liderado por Jorge Tomé arrancou a afundar 56,36% para 0,0006 euros, um novo mínimo histórico.

Os investidores continuam a apostar numa ida ao tapete, apesar da garantia dada esta madrugada pelo Ministério das Finanças, em comunicado, de que “decorre um processo de venda” da posição do Estado no banco.

A TVI24 noticiou ontem à noite (domingo) que, “caso não se encontre um novo acionista durante esta semana” para o banco, este deverá ser sujeito a uma resolução que “separe a parte boa, os ativos saudáveis, da má, os ativos tóxicos”. O banco reagiu a esta notícia informando a CMVM que “não deixará de apurar em sede judicial toda a responsabilidade dos autores de tais ‘notícias’ e dos que contribuíram para a sua propagação, na defesa dos melhores interesses dos seus clientes, colaboradores e acionistas”.

E acrescenta: “Em linha com a comunicação que efetuou ao mercado em 11 de dezembro, o Conselho de Administração reafirma que se encontra atualmente em curso, em articulação com as autoridades responsáveis, um processo aberto e competitivo de venda da posição do Estado português no Banif, no qual se encontram envolvidos diversos investidores internacionais, pelo que qualquer cenário de resolução ou imposição de uma medida administrativa não tem qualquer sentido ou fundamento.”

Os outros dois bancos cotados – BCP e BPI – avançam com desempenhos opostos. Assim, enquanto o banco liderado por Nuno Amado cai 1,67% para 0,0472 euros, o banco presidido por Fernando Ulrich sobe 1,88% para 1,136 euros.

A pressionar o PSI no sentido negativo está igualmente a retalhista Jerónimo Martins, que cai 0,34% para 11,75 euros e a Galp Energia que desvaloriza 0,28% para 9,712 euros.

O PSI 20, principal índice da bolsa portuguesa, arrancou esta segunda-feira a cair 0,19% para 5.076,71 pontos, com 10 empresas a negociar em terreno negativo.

OJE

 

Recomendadas

Novabase suspende programa de recompra de ações

A tecnológica já tinha suspendido o programa em junho, tendo depois voltado a retomá-lo. Segundo informação publicada nessa altura, o programa estava previsto durar até 31 de dezembro de 2023.

Encarnado toma conta de Wall Street no fecho da sessão

Mesmo as ações da Taiwan Semiconductor Manufacturing, que negoceia no Dow Jones, caíram mais de 3% apesar de a empresa ter anunciado um investimento de 40 mil milhões de dólares no Arizona, o maior de sempre neste estado norte-americano.

Europa fecha em queda e PSI não é exceção. Juros soberanos em queda

As bolsas europeias fecharam em queda influenciadas pelos indicadores do Estados Unidos que sugerem maior agressividade na subida dos juros do outro lado do Atlântico.