Bolsa portuguesa abre em queda com sentimento misto nas praças europeias

O principal índice português, PSI 20, negoceia com perdas de 0,10% para os 5.423,27 pontos, acompanhando o sentimento negativo das praças europeias.

Reuters/Lucas Jackson

A bolsa portuguesa abriu sessão esta terça-feira em queda. O principal índice português, PSI 20, negoceia com perdas de 0,10% para os 5.423,27 pontos, acompanhando a tendência negativa das praças europeias.

Em terreno negativo destacam-se os títulos do setor do retalho. A Jerónimo Martins cai 0,34% para os 1,165 euros e a Sonae perde 0,03% para os 15,900 euros. Entre os ‘pesos pesados’ do PSI 20 a negociar em baixa está também a Galp Energia, que recua 0,06% para os 15,615 euros.

Em contraciclo, destaca-se a EDP, que soma 0,14% para os 2,934 euros.

Nas praças europeias, o alemão DAX sobe 0,06%, o espanhol IBEX 35 ganha 0,02%, o holandês AEX soma 0,20% e o britânico FTSE 100 valoriza 0,12%. Em sentido contrário, o francês CAC 40 recua 0,13% e o italiano FTSE MIB perde 0,03%.

No mercado petrolífero, o brent sobe 0,17% para os 63,52 dólares por barril e o crude WTI valoriza 0,40% para os 57,45 dólares.

No mercado cambial, o euro ganha 0,19% para 1,180 dólares e a libra soma 0,10% para 1,339 dólares.

Recomendadas

Moeda chinesa recua face ao dólar para valor mais baixo em 14 anos

A moeda chinesa, o yuan, caiu hoje para o nível mais baixo dos últimos 14 anos, em relação ao dólar norte-americano, apesar dos esforços do banco central da China para conter a queda.

Juros da República portuguesa a 10 anos em máximos de cinco anos. Euro continua a cair face ao dólar

Itália tem os juros a dispararem para quase 5%. As dívidas soberanas estão numa escalada imparável. Os juros da dívida portuguesa estavam hoje a subir, para novos máximos, alinhados com os da Grécia e Itália.

Decisão da Fed vai provocar recessão? Libra afunda e complica contas no Reino Unido e reação às eleições italianas. Veja o “Mercados em Ação”

As consequências da decisão da Fed para a economia, o afundar da libre e a reação dos mercados às eleições italianas. André Cabrita-Mendes, subdiretor do JE, e Marco Silva, consultor de estratégia e investimento, analisam estes e outros temas juntamente com Pedro Lino, administrador da Optimize Investment Partners.
Comentários