Bolsa portuguesa abre em sentido negativo com perdas do BCP e retalho

Os investidores na bolsa portuguesa estão atentos à reunião desta terça-feira da primeira-ministra britânica, Theresa May, com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, para discutirem o processo de saída do Reino Unido do bloco europeu.

A bolsa portuguesa abriu sessão desta terça-feira a negociar com perdas, pressionada pelas desvalorizações do BCP e do setor do retalho. O principal índice português, PSI 20, negoceia a perder 0,22% para os 5.301,41 pontos.

O BCP é uma das cotadas com maiores perdas, a cair 0,44% para os 0,226 euros. No setor retalhista, a Sonae perde 0,20% para os 0,998 euros, acompanhada pela concorrente Jerónimo Martins, que recua 0,18% para os 16,495 euros.

O setor da energia está também a pressionar o índice nacional. A EDP cai 0,37% para os 3,214 euros, a EDP Renováveis desvaloriza 0,17% para os 7,77 euros e a REN recua 0,40% para os 2,734 euros.

Em contraciclo, estão a Galp Energia, a somar 0,27% para os 14,995 euros, a Semapa (0,03%) e a Ibersol (1,04%).

Os investidores na bolsa portuguesa estão atentos à reunião desta terça-feira da primeira-ministra britânica, Theresa May, com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, para discutirem o processo de saída do Reino Unido do bloco europeu, que deve concretizar-se, conforme previsto, em março de 2019. Esta é já a quarta ronda de negociações de parte a parte e espera-se uma clarificação de Theresa May sobre a sua postura neste processo.

Esta terça-feira está ainda em destaque a conferência anual NABE, em Cleveland (Ohio), onde a presidente da Reserva Federal norte-americana, Janet Yellen, vai falar sobre a política monetária dos Estados Unidos e irá moderar um painel com o tema as “perspetivas económicas” para aquela que é considerada a maior economia do mundo.

Recomendadas

Bolsa de Lisboa segue no ‘verde’ com Altri a liderar ganhos

No mercado cambial, o euro está a ter uma valorização de 0,38% face ao dólar, para os 1,0376 euros.

Euribor sobem a três e seis meses para novos máximos de quase 14 anos

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno positivo em 6 de junho, avançou hoje, para 2,442%, mais 0,006 pontos, um novo máximo desde janeiro de 2009.

PSI inicia sessão no ‘verde’ em linha com generalidade das praças europeias

O desempenho das energéticas é misto. A Galp Energia ganha 1,74% para 11,66 euros e a EDP sobe 0,30% para 4,40 euros. Por outro lado, a EDP Renováveis perde 0,36% para 22,07 euros e a Greenvolt recua 0,76% para 7,81 euros.
Comentários