Bolsas dos EUA com ganhos ligeiros antes de discurso de Yellen

Praças norte-americanas negoceiam no verde com investidores a aguardarem novas declarações da presidente da Fed.

Brendan McDermid/Reuters

Os mercados acionistas norte-americanos transacionam com ganhos ligeiros, após terem tocado máximos históricos na semana passada, com os investidores a aguardarem um discurso de Janet Yellen, presidente da Reserva Federal.

O industrial Dow Jones sobe 0,23% para 19.893,88 pontos, o tecnológico Nasdaq ganha 0,34% para 5.455,53 pontos, enquanto o S&P500 avança 0,22% e está nos 2.263,05 pontos.

O Fed aumentou na semana passada pela primeira vez as taxas de juros em 0,25 pontos percentuais, e atualizou para três o número de subidas em 2017, quando antes os decisores do banco central previam apenas dois aumentos.

Essas medidas levaram a uma breve interrupção dos ganhos que Wall Street tem acumulado desde a vitória presidente-eleito Donald Trump, , que prometeu estímulos como cortes nos impostos e mais investimento nas infraestruturas para fomentar o crescimento, mas as acções acabaram por fechar a semana em nota positiva.

“O ‘rally’ Trump tem estado parado das últimas sessões, mas até agora vejo poucos sinais de que o ano possa fechar com nota negativa”, disse Craig Erlam, analista sénior de mercado do OANDA.

Yellen discursa hoje sobre as tendências no mercado de trabalho às 18h30 na Universidade de Baltimore.

Nas Commodities, o ouro sobe ligeiramente e o petróleo Brent perde 0,16% e está nos 55,11 dólares por barril. O crude negoceia nos 52 dólares, com os investidores atentos ao iminente retorno da produção em dois dos maiores campos da Líbia, que tinha sido interrompida por grupo de guardas das instalações.

No mercado cambial, o dólar continua a ganhar terreno face às principais divisas. O euro cai para mínimos de 13 anos e vale 1,0423 dólares e a libra esterlina deprecia-se 0,82% para 1,2389 dólares.  Na semana passada, o dólar alcançou máximos de 14 anos na sequência da decisão do Fed.

Recomendadas

Confiança em queda nas principais economias europeias agrava risco de recessão

Alemanha, França e Itália reportam quedas maiores do que o esperado na confiança das famílias e sector privado, espelhando a preocupação dos agentes económicos com a subida de preços na zona euro e dando cada vez mais força à possibilidade de uma recessão real no final deste ano e início de 2023.

Governo quer prolongar Programa Regressar e aumentar o benefício do IRS Jovem

O Governo quer prolongar o regime fiscal associado ao programa Regressar e aumentar o benefício anual do IRS Jovem, segundo a proposta do acordo de rendimentos e competitividade que está a ser hoje discutida na Concertação Social.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.
Comentários