Bolsas europeias arrancam sem tendência definida à espera de previsões da OCDE

As principais bolsas europeias seguem hoje sem tendência definida, com os investidores a aguardarem pelas previsões da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) para os seus países membros e outras economias. Cerca das 08h30, o EuroStoxx 50, o índice que representa as principais empresas da zona euro, estava quase inalterado nos 3.211,90 pontos. […]

As principais bolsas europeias seguem hoje sem tendência definida, com os investidores a aguardarem pelas previsões da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) para os seus países membros e outras economias.

Cerca das 08h30, o EuroStoxx 50, o índice que representa as principais empresas da zona euro, estava quase inalterado nos 3.211,90 pontos.

As principais bolsas europeias seguiam mistas, entre os ligeiros ganhos (entre 0,10% e 0,17%) de Frankfurt, Madrid e Milão e as ligeiras perdas de Londres (0,02%) e Paris (0,07%)

OJE/Lusa

Recomendadas

Wall Street fecha com perdas à espera de novos dados do emprego norte-americano

Os três principais índices encerraram as negociações a encarnado. O Twitter ainda arrancou a sessão a subir, mas as ações da rede social acabaram por desvalorizar mais de 3% na sequência de Elon Musk, dono da Tesla que quer comprar a empresa, ter perdido os parceiros de investimento (Apollo Global Management e Sixth Street Partners) no negócio.

Comissão de trabalhadores acusa grupo Amorim de “incapacidade” para dirigir Galp por anúncio da saída do CEO sem substituto

A Comissão Central de Trabalhadores (CCT) da Petrogal acusou hoje o Grupo Amorim de incapacidade “para controlar e dirigir a Galp”, na sequência do anúncio da saída do presidente executivo, Andy Brown, no final do ano, sem anúncio de substituto.

Diretora do FMI avisa que situação económica “ainda vai piorar antes de melhorar”

“A incerteza é muito elevada”, referiu Kristalina Georgieva, destacando os efeitos da guerra, apontando que pandemia que “ainda não desapareceu” e acrescentando também que “os riscos em torno da estabilidade financeira estão a crescer”.