Bolsas europeias em alta em semana de divulgação de indicadores

As principais bolsas europeias estam hoje em alta, no início de uma semana durante a qual serão divulgados vários indicadores macroeconómicos, principalmente dos Estados Unidos. Cerca das 09h15 de hoje em Lisboa, o EuroStoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a subir 0,40%, para 3.080,21 pontos. As bolsas de Londres, […]

As principais bolsas europeias estam hoje em alta, no início de uma semana durante a qual serão divulgados vários indicadores macroeconómicos, principalmente dos Estados Unidos.

Cerca das 09h15 de hoje em Lisboa, o EuroStoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a subir 0,40%, para 3.080,21 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam em alta, a subir 0,41%, 0,78% e 0,36%, respetivamente, bem como as de Madrid e Milão, que estavam a avançar 0,58% e 0,47%.

Depois de abrir a subir, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 09:10, o principal índice, o PSI20, estava a crescer 0,97%, para 4.872,15 pontos.

Em Nova Iorque, Wall Street encerrou sexta-feira em baixa, com o Dow Jones a cair 1,79%, para 17.280,83 pontos, depois de ter subido, a 05 de dezembro, até aos 17.958,79 pontos, um máximo histórico desde que foi criado, há 128 anos.

Os investidores mostraram-se pouco interessados na esmagadora vitória do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, nas eleições deste fim de semana.

As principais referências da semana são provenientes dos Estados Unidos, onde hoje serão divulgados os dados da produção industrial e na quarta-feira o índice de preços no consumo, no mesmo dia em que se realizará a reunião sobre política monetária da Reserva Federal norte-americana (Fed).

Além destes indicadores, os investidores aguardam também por sexta-feira, a terceira do último mês do trimestre, dia ocorre a denominada “quádrupla hora bruxa” que corresponde ao vencimento trimestral de opções e futuros sobre índices de ações.

Em Espanha, o Tesouro realiza dois leilões de dívida, de letras a curto prazo na terça-feira e de obrigações com diversos vencimentos na quinta-feira, uma vez satisfeitas mais de 103% das necessidades de liquidez para o exercício em curso.

Entretanto, os mercados continuam preocupados com a queda do preço do barril de petróleo, que já caiu mais de 40% desde junho, apesar de ter iniciado o dia de hoje em alta em Londres.

O barril de petróleo Brent para entrega em janeiro abriu a cotar-se a 62,63 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 1,27% do que no encerramento da sessão anterior.

OJE/Lusa

Recomendadas

Wall Street regressa aos ganhos a meio da semana

A Apple destacou-se esta quarta-feira por afundar mais de 4%, na sequência de a gigante liderada por Tim Cook ter posto na gaveta o seu plano para aumentar a produção dos seus novos iPhones, mas as ações acabaram por encerrar a sessão com uma perda de pouco mais de 1%.

BCP cai 5% e arrasta bolsa de Lisboa para terreno negativo numa Europa mista

“O índice nacional esteve pressionado pela queda de 5% do BCP, numa sessão onde o setor Bancário demonstrou a pior performance na Europa”, escreveu o analista do Millennium BCP, Ramiro Loureiro, na sua análise de fecho de mercados.

CMVM publica cinco decisões de contraordenação, incluindo a coima de 75 mil euros à Orey Antunes

Na base das decisões da CMVM estão três processos por violação de deveres de atuação dos auditores. O processo contra a Orey Antunes por não ter divulgado os documentos de prestação de contas anuais e um processo por violação de deveres dos intermediários financeiros.