Bolsas europeias em baixa preocupadas com petróleo e situação na Rússia

As principais bolsas europeias estão hoje em baixa, com os investidores cada vez mais preocupados com a queda do preço do barril de petróleo e com a situação na Rússia devido ao afundamento do rublo. Cerca das 09h50, o EuroStoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a cair 1,04% para […]

As principais bolsas europeias estão hoje em baixa, com os investidores cada vez mais preocupados com a queda do preço do barril de petróleo e com a situação na Rússia devido ao afundamento do rublo.

Cerca das 09h50, o EuroStoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a cair 1,04% para 3.018,36 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam em baixa, a recuar 0,78%, 0,46% e 0,86%, respetivamente, bem como as de Madrid e Milão, que estavam a cair 1,26% e 1,33%.

Depois de abrir em baixa, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 09:50, o principal índice, o PSI20, estava a cair 0,96% para 4.694,88 pontos.

Em Nova Iorque, Wall Street encerrou na terça-feira em baixa, com o Dow Jones a cair 0,65%, para 17.068,87 pontos, depois de ter subido, a 5 de dezembro, até aos 17.958,79 pontos, um máximo histórico desde que foi criado, há 128 anos.

Além da evolução do preço do petróleo, hoje, os investidores vão continuar pendentes do afundamento do rublo, que ameaça causar pânico na população russa, que teme pelas poupanças.

Também hoje começa a cimeira de chefes de Estado e de governo da União Europeia (UE), durante a qual serão analisadas a situação na Ucrânia e os planos da comissão europeia para gerar crescimento e emprego.

Nos Estados Unidos, a presidente da Reserva Federal, Janet Yellen, informa sobre as conclusões da última reunião do ano da instituição e a primeira depois do fim do programa de estímulo monetário, numa altura de grande instabilidade nos mercados.

Também hoje será anunciado o dado da inflação nos Estados Unidos no mês de novembro.

Os preços do barril de petróleo já caíram mais de 46% desde junho.

Na terça-feira, o preço do barril de petróleo do mar do Norte (Brent) caiu para valores inferiores a 60 dólares, pela primeira vez desde 2009, provocando o receio dos mercados de uma nova crise económica global.

Já na segunda-feira, o preço do barril de petróleo da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) registou a sétima queda consecutiva, caindo para 58,65 dólares, abaixo dos 60 dólares pela primeira vez em mais de cinco anos.

Um excesso de oferta mundial de petróleo é a causa principal da sustentada queda dos preços, acelerada pela decisão dos ministros da OPEP de não reduzir o nível da produção conjunta, adotada a 27 de novembro em Viena.

O barril de petróleo Brent para entrega em janeiro abriu em baixa, a cotar-se a 59,75 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,18% do que no encerramento da sessão anterior.

OJE/Lusa

Recomendadas

Wall Street abre mista. Twitter desvaloriza com outro volte-face no negócio

Já as ações da Peloton estão a valorizar 3,35% para 8,82 dólares, apesar de a empresa das bicicletas de fitness ter informado que iria reduzir a força de trabalho em mais 12% (ou 500 empregos). A gigante do retalho Walmart avança à boleia de uma nova aquisição.

Lagarde com reconhecimento “pouco feliz” e a inflação na Alemanha a disparar. As escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Estes e outros temas, como a saída do CEO da Galp, Andy Brown, são as escolhas da semana no programa da plataforma JE TV, conduzido pelo subdirector do JE, André Cabrita-Mendes.

Bolsa de Lisboa segue em terreno negativo a meio da sessão

No meio sessão seguem em terreno positivo apenas a Altri, que avança 0,20% para 5,09 euros, a Jerónimo Martins, que ganha 0,21% para 18,95 euros, e a Semapa, que sobe 0,16% para 12,28 euros.