Bolsas europeias negoceiam mistas à espera de discurso europeu de Macron

Nos mercados acionistas europeus, os investidores estão atentos ao segundo dia de negociações do Brexit e ao discurso europeu do presidente francês, Emmanuel Macron, que insiste numa “refundação histórica da Europa” numa altura em que se discute a saída do Reino Unido do bloco.

Stringer/Reuters

Depois de ter iniciado sessão em terreno negativo, o principal índice nacional segue a negociar no verde na sessão desta terça-feira, sustentando pelo BCP e Galp Energia. O PSI 20 soma 0,07% para os 5.317,05 pontos, numa altura em que nas praças europeias negoceiam mistas.

O BCP é a cotada a registar maiores ganhos. O banco liderado por Nuno Amado sobe 1,10% para os 0,229 euros. A impulsionar os ganhos na bolsa nacional está também a Galp Energia, que valoriza 0,74% para os 15,065 euros.

Também a líder do setor do retalho, Sonae, sobe 0,10% para os 1,001 euros, assim como a Ibersol (0,61%), a Semapa (0,53%), a Mota-Engil (0,31%) e os CTT (0,04%).

Em contraciclo, a EDP perde 0,65% para os 3,205 euros, a EDP Renováveis recua 0,21% para os 7,174 euros e a REN desvaloriza 0,07% para os 2,743 euros. A pressionar o índice português estão também a NOS (-0,23%), a Jerónimo Martins (-0,24%), a Altri (-0,41%) e a Pharol (-0,86%).

Na Europa, as congéneres europeias negoceiam mistas. O DAX, principal índice alemão cai 0,06%, o espanhol IBEX 35 desvaloriza 0,19% e a praça britânica FTSE 100 recua 0,19%.  Em sentido contrário, o CAC 40 francês sobe 0,02%.

Nos mercados acionistas europeus, os investidores estão atentos à reunião desta terça-feira da primeira-ministra britânica, Theresa May, com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, para discutirem o processo de saída do Reino Unido do bloco europeu, que deve concretizar-se, conforme previsto, em março de 2019. Esta é já a quarta ronda de negociações de parte a parte e espera-se uma clarificação de Theresa May sobre a sua postura neste processo.

O presidente francês, Emmanuel Macron, faz esta terça-feira um discurso onde se pronunciará sobre o seu plano de relançamento do projeto europeu. Entre as grandes medidas que o centrista propõe estão a nomeação de um ministro permanente das Finanças da União Europeia e a criação de um orçamento anual para a zona euro. Além disso, Emmanuel Macron quer trabalhar para uma melhor cooperação entre a França e a Alemanha, as duas maiores economias da Europa. O discurso acontece esta tarde na Universidade de Sorbonne em Paris, às 15h00 locais (14h00 em Lisboa).

Esta terça-feira está ainda em destaque a conferência anual NABE, em Cleveland (Ohio), onde a presidente da Reserva Federal norte-americana, Janet Yellen, vai falar sobre a política monetária dos Estados Unidos e irá moderar um painel com o tema as “perspetivas económicas” para aquela que é considerada a maior economia do mundo.

No mercado petrolífero, o brent perde 0,74% para os 58,00 dólares por barril e o crude perde 0,52% para os 51,95 dólares.

No mercado cambial, o euro desvaloriza 0,25% para 1,181 dólares e a libra ganha 0,16% para 1,348 dólares.

Recomendadas

PSI inicia sessão no ‘verde’ em linha com generalidade das praças europeias

O desempenho das energéticas é misto. A Galp Energia ganha 1,74% para 11,66 euros e a EDP sobe 0,30% para 4,40 euros. Por outro lado, a EDP Renováveis perde 0,36% para 22,07 euros e a Greenvolt recua 0,76% para 7,81 euros.

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta terça-feira

Alemanha e Espanha arrancam com as divulgações da pressão de preços em novembro, embora em fases diferentes do fenómeno. Em ambos os casos, o impacto para a economia da moeda única será substancial, pelo que os investidores procurarão sinais sobre a política monetária europeia de médio-prazo.

Wall Street encerra sessão com índices a desvalorizar mais de 1%

No fim de sessão em Wall Street o Dow Jones perde 1,45% para 33.849,46 pontos, o S&P 500 cai 1,51% para 3.965,30 pontos e o tecnológico Nasdaq cede 1,58% para 11.049,50 pontos. 
Comentários