Bolsas europeias ressentem “vitória” dos independentistas na Catalunha. PSI 20 não é exceção

O principal índice português, PSI 20, segue na linha de água a perder 0,03% para 5.394,95 pontos, pressionado pelas desvalorizações da Pharol e BCP.

A bolsa portuguesa abriu a negociar em baixa esta sexta-feira, acompanhando o sentimento negativo das praças europeias. O principal índice português, PSI 20, segue na linha de água a perder 0,03% para 5.394,95 pontos, pressionado pelas desvalorizações da Pharol e BCP.

A Pharol é a cotada que mais perde, ao cair 5,24% para os 0,253 euros. Paulo Rosa, trader da Gobulling – Banco Carregosa, explica que “os acionistas da cotada estão descontentes com o plano de reestruturação apresentado pela empresa de telecomunicações brasileira Oi [da qual a Pharol é a principal acionista]”. O trader nota que a empresa está a ponderar avançar para tribunal pelo facto de os interesses da Oi não estarem em linha com os da empresa portuguesa.

A cotada é acompanhada pelo BCP, depois de esta quinta-feira a agência de notação Fitch ter melhorado a perspetiva do rating do BCP de “estável” para “positiva”. Ainda assim, o BCP recua 0,33% para os 0,269 euros.

Os CTT negoceiam em baixa, no dia em que os trabalhadores cumprem o segundo dia de greve pela reversão da privatização dos CTT. Os trabalhadores da empresa postal argumentam que antes de serem privatizados, os CTT apresentaram “sempre” resultados positivos e funcionavam como empresa de referência para os portugueses “pela confiança e pela prestação de um serviço postal de qualidade”, mas agora são “uma empresa sem qualidade”.

A cair estão também os títulos da NOS (-0,25%), REN (0,08%), Altri (-1,21%), Mota-Engil (-1,79%), Corticeira Amorim (-0,82%) e da Navigator (0,67%).

Em sentido contrário, destaca-se a Jerónimo Martins, que lidera os ganhos ao valorizar 1,70% para os 16,135 euros. Ainda no setor do retalho, a Sonae soma 0,17% para os 1,166 euros.

Também o setor da energia está em alta neste início de sessão. A EDP ganha 0,38% para os 2,875 euros, a EDP Renováveis sobe 0,51% para os 6,754 euros e a Galp Energia soma 0,64% para os 15,650 euros.

Nas restantes praças europeias, o espanhol IBEX 35 é o mercado que mais perde, ao cair 0,98%. O alemão DAX perde 0,18%, o francês CAC 40 recua 0,14%, o italiano FTSE MIB desvaloriza 0,29% e o holandês AEX desliza 0,07%. Em sentido contrário, o britânico FTSE 100 soma 0,06%.

“Os mercados espelham a incerteza deixada pelo resultado das eleições autonómicas na Catalunha. Embora tenham dado vitória aos Cidadãos de Inés Arrimadas, os partidos independentistas conseguiram reunir em conjunto a maioria dos votos, o que significa uma pesada derrota para o Governo espanhol no Parlamento catalão”, explica Paulo Rosa.

trader da Gobulling – Banco Carregosa nota que o IBEX abriu a perder mais de 2%, estando agora a aliviar as perdas. “O mercado em termos gerais está agora calmo, apesar de os resultados serem desfavoráveis para a Espanha e para toda a Europa”, sustenta.

No mercado petrolífero, o brent cai 0,28% para os 64,72 dólares por barril e o crude WTI desvaloriza 0,41% para os 58,12 dólares.

No mercado cambial, o euro recua 0,23% para 1,184 dólares e a libra soma 0,06% para 1,339 dólares. “O euro está também a aliviar mínimos e está quase a negociar com o mesmo valor verificado na sessão de ontem”, indica o trader da Gobulling.

Recomendadas

Wall Street encerra no ‘verde’, mas a semana será de perdas

O índice empresarial S&P 500 fechou a avançar 0,75%, com 3.963,51 pontos. Já o industrial Dow Jones ganhou 183 pontos, ou seja, 0,55%. Sem grandes surpresas, foi o tecnológico Nasdaq a saltar mais de 1% (1,13%) e a encerrar com 11.082 pontos.

Bolsa de Lisboa fecha em queda arrastada pela EDP Renováveis numa Europa mista

O tombo da bolsa deve-se em grande parte à queda das ações da EDP Renováveis. As ações caíram -2,19% para 21,39 euros no dia em que foi noticiado que ganhou o leilão para contruir um parque eólico “offshore” de grande escala ao largo da Califórnia.

Wall Street abre a valorizar com S&P 500 a contrariar cinco dias de perdas

O índice industrial Dow Jones arrancou a sessão a escalar 235 pontos (+0,7%), impulsionado pelos ganhos da Chevron e da Boeing. Já o empresarial S&P 500 acompanhou a subida em 0,7%. Por sua vez, o tecnológico Nasdaq valorizava quase 1% (0,9%).
Comentários