Bolsas europeias ‘tremem’ antes das eleições na Catalunha e Lisboa não escapa

O índice espanhol IBEX 35 perdeu 0,22%, o alemão DAX tombou 1,12% e o português PSI 20 recuou 0,45%. Incerteza na Catalunha marca o ritmo dos investidores.

Reuters

O índice de referência nacional PSI 20 fechou esta quarta-feira com perdas, penalizado pelo nervosismo na Europa antes das eleições na Catalunha. A Bolsa de Lisboa inverteu a tendência ao longo dia e acabou por deslizar 0,45% para 5.406,64 pontos, com a Jerónimo Martins, o grupo EDP e a Corticeira Amorim a liderar as perdas.

Pedro Oliveira, trader do Banco Carregosa, destaca “principalmente a queda de cotadas com muito peso no PSI 20, como é o caso da EDP, da Jerónimo Martins e da Galp”. A energética resvalou 1,64% para 2,877 euros, enquanto a retalhista perdeu 1,67% para 2,877 euros e a petrolífera recuou 0,58% para 15,520 euros.

Sobre o tombo de 3% da Corticeira Amorim, Oliveira referiu que “houve um elevado de transações vendidas no leilão de fecho, mas não houve notícias que justificasse a queda expressiva”.

Em contrapartida, os CTT avançaram 4,61% para 3,655 euros, a mostrar que “o plano de reestruturação foi bem recebido pelos investidores”, mas também porque “havia espaço de correção depois das quedas das últimas sessões”.

A Pharol subiu 2,20% para 0,279 euros e o trader lembrou que a cotação da operadora nacional tem sido marcada pelas flutuações da brasileira Oi, de que é a maior acionista. “Enquanto não acontecer a assembleia geral da Oi, que tem sido sucessivamente adiada, a Pharol vai continuar assim”.

A Sonae Capital ganhou 0,56% para 0,899 euros, a Sonae valorizou 0,43% para 1,178 euros e o BCP subiu 0,26% para 0,270 euros.

Na Europa, o principal evento que está a marcar a negociação nas bolsas é a eleição convocada para esta quinta-feira na Catalunha. Depois do referendo e pedido unilateral de independência da região, o Governo de Madrid destituiu o governo regional e marcou eleições.

O índice espanhol IBEX 35 perdeu 0,22%, enquanto o alemão DAX tombou 1,12%, o francês CAC 40 recuou 0,60% e o italiano FTSE MIB 0,78%. No Reino Unido, o FTSE 100 desvalorizou 0,26%. No mercado cambial, o euro aprecia-se 0,08% para 1,185 dólares.

“Não há nenhum dado que justifique esta queda principalmente na Alemanha, mas é uma altura de tomada de mais-valias com o aproximar do fim do ano”, afirmou Oliveira. O trader do Banco Carregosa acrescentou que “as eleições na Catalunha terão uma influência negativa principalmente na quinta-feira, mas poderão até acabar por ter um impacto positivo se as coisas correrem bem”.

[Notícia atualizada às 17h30 com comentário]

Relacionadas

Catalunha: Esquerda republicana lidera sondagens a um dia das eleições

As últimas sondagens dão vitória aos independentistas da esquerda republicana (ERC), mas sem conseguir a maioria necessária para assegurar a governação da região.

PSI20 segue em alta com ganhos da Pharol e CTT, com Europa pressionada por incerteza na Catalunha

O principal índice português, PSI 20, ganha 0,21%, para 5.442.62 pontos, impulsionado pelas valorizações da Pharol, CTT e BCP.

DBRS prevê que incerteza na Catalunha continue depois das eleições

A agência de notação de crédito não espera uma declaração unilateral de independência depois da ida às urnas, mas diz que a crise institucional pode pesar cada vez mais na economia catalã.
Recomendadas

Wall Street fecha com perdas à espera de novos dados do emprego norte-americano

Os três principais índices encerraram as negociações a encarnado. O Twitter ainda arrancou a sessão a subir, mas as ações da rede social acabaram por desvalorizar mais de 3% na sequência de Elon Musk, dono da Tesla que quer comprar a empresa, ter perdido os parceiros de investimento (Apollo Global Management e Sixth Street Partners) no negócio.

Diretora do FMI avisa que situação económica “ainda vai piorar antes de melhorar”

“A incerteza é muito elevada”, referiu Kristalina Georgieva, destacando os efeitos da guerra, apontando que pandemia que “ainda não desapareceu” e acrescentando também que “os riscos em torno da estabilidade financeira estão a crescer”.

PSI fecha em queda em linha com Europa. EDPs lideram perdas

As bolsas europeias encerraram na sua globalidade em baixa. Já o petróleo está em rota ascendente depois de a OPEP+ ter anunciado um corte agressivo na produção. Por sua vez as ‘yields’ da dívida a 10 anos estão em alta.
Comentários