Bolsas negoceiam no verde. PSI 20 impulsionado por EDP R

O PSI 20, principal índice da praça portuguesa, abriu a sessão a subir 0,19% para 5.307,38 pontos, em linha com as bolsas europeias, que aguardam expectantes as conclusões da reunião da Reserva Federal (Fed) dos EUA que hoje termina. O índice português é impulsionado por sete empresas, que abriram a negociar em alta, sobretudo pela […]

O PSI 20, principal índice da praça portuguesa, abriu a sessão a subir 0,19% para 5.307,38 pontos, em linha com as bolsas europeias, que aguardam expectantes as conclusões da reunião da Reserva Federal (Fed) dos EUA que hoje termina.

O índice português é impulsionado por sete empresas, que abriram a negociar em alta, sobretudo pela EDP Renováveis, que anunciou uma subida do lucro dos primeiros nove meses do ano. No início da sessão, o papel da EDP R seguia a valorizar 2,08% para 6,285 euros.

Todo o setor energético está em alta esta manhã. A EDP aprecia 0,36% para 3,349 euros, a Galp Energia valoriza 0,70% para 9,452 euros e a REN sobe 0,22% para 2,759 euros.

Do setor do retalho, o PSI 20 recebe o input favorável da Jerónimo Martins, que segue a negociar nos 12,60 euros, o que representa um acréscimo de 0,76%.

Em baixa na sessão de hoje esta o setor bancário, com o BCP a deslizar 0,63% para 4,77, o BPI a recuar 0,64% para 1,081 euros e o Banif a desvalorizar 4,35% para 0,22 cêntimos.

OJE

Recomendadas

Reserva Federal volta a ‘dar a mão’ a Wall Street

Tal como sucedeu na semana passada, a Fed teve de insistir na diminuição do ritmo da subida das taxas de juro para alavancar um dia que acabou por ser positivo. O mercado está a precisar da atenção do banco central.

Reserva Fedrela diz que aumento das taxas de juro pode desacelerar em dezembro

O presidente da Reserva-Feral norte-americana, Jerome Powell, considerou esta quarta-feira, ser provável que o aumento das taxas de juro possa desacelerar já em dezembro. Mas os valores vão permanecer altos.

Energia dá impulso à Bolsa de Lisboa. Europa fecha no verde em dia marcado pela inflação

O mercado esperava que a inflação do IPC na zona do euro desacelerasse de 10,6% em Outubro para 10,4% em Novembro (variação anual). A leitura real mostrou uma desaceleração para 10,0% num ano. Os juros soberanos sobem. As ações também.