Boris Johnson janta hoje com von der Leyen em Bruxelas para resolver impasse do Brexit

Após a equipa de negociações ter falhado em atingir um acordo, ao longo de vários meses, Boris Johnson e Ursula von der Leyen vão hoje jantar em Bruxelas para tentar resolver o impasse em redor do Brexit para tentar chegar a um acordo antes que o prazo chegue ao fim.

EPA/VICKIE FLORES

O primeiro-ministro Boris Johnson vai a Bruxelas reunir-se com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, para resolver o impasse do Brexit, uma vez que o tempo para chegar a um acordo final está a acabar. O encontro pessoal desta quarta-feira vai ter lugar ao jantar entre os dois líderes e surge depois de dois telefonemas, um no sábado e outro na segunda-feira, onde a presidente da Comissão Europeia pediu progressos nas reuniões.

Após a equipa de negociações ter falhado em atingir um acordo, ao longo de vários meses, os dois vão  encontrar-se para jantar e falar sobre o impasse que tem acontecido por parte de Boris Johnson, que não aceita os termos da União Europeia, e tentar chegar, por fim, a um acordo antes que o prazo chegue ao fim, revela a “BBC”.

Durante o jantar, será discutida uma lista dos principais conflitos entre Boris Johnson e von der Leyen, que representa os líderes do bloco dos 27 da União Europeia na reunião.

Os maiores desentendimentos face a um acordo continuam a prender-se na questão das pescas, onde os europeus se recusam a conceder aos condições especiais no mercado único caso o Reino Unido não garanta acesso da frota europeia às suas águas, a igualdade no acesso aos mercados e como o acordo será salvaguardado.

Apesar de se esperar progressos desta reunião entre os líderes, o diplomata David Frost, responsável pelas negociações por parte do Reino Unido, e Michel Barnier, responsável pelas negociações por parte da UE, devem retomar as conversas sobre os acordos ainda esta semana, de forma a acelerar o processo que dura há 11 meses.

No entanto, ainda que todas as partes envolvidas esperem um acordo final, fontes do Reino Unido admitiram que era importante todos se manterem “realistas”, uma vez que o acordo pode não se realizar. Michel Barnier já terá informado os ministros da União Europeia de que o Reino Unido estava pendente para um não acordo antes do fim do prazo.

Relacionadas

Pós-Brexit. Boris Johnson vai a Bruxelas esta quarta-feira para desbloquear impasse

Reino Unido e Bruxelas ainda não chegaram a um entendimento na definição das relações económicas e comerciais entre o bloco britânico e a União Europeia. Boris Johnson e Ursula von der Leyen correm contra o tempo para encontrar uma solução antes que o período de transição termine.

Brexit: Reino Unido retira cláusulas que anulavam parte do acordo de saída da UE

O comité misto União Europeia (UE)-Reino Unido anunciou hoje um acordo de princípio para a implementação da saída da UE, que prevê a retirada das cláusulas controversas de uma proposta de lei que anulava partes do entendimento.

Santos Silva fala em progressos ainda insuficientes nos “últimos momentos” das negociações do Brexit

O ministro dos Negócios Estrangeiros reconheceu que era “muito importante” já se conhecer o desfecho das conversações quando os líderes europeus se reunirem em Bruxelas entre quinta e sexta-feira, para o último Conselho Europeu do ano.

Brexit: UE e Reino Unido retomam conversações a três semanas do prazo final para um acordo

As dificuldades na obtenção de um acordo não impedem ambas as partes de tentarem a obtenção do mesmo até ao final do prazo previsto para o efeito, que chega no final deste ano. As questões concorrenciais e das pescas continuam a ser o principal obstáculo.
Recomendadas

União Europeia, G7 e Austrália limitam barril de petróleo russo a 60 dólares

Os 27 estados-membros da UE chegaram a acordo, esta sexta-feira, no estabelecimento de um teto máximo para o preço do petróleo russo nos 60 dólares por barril. Os sete países mais industrializados do mundo (G7) e a Austrália juntam-se na decisão.

Imigrantes do Bangladesh denunciam extorsão para obter vistos para Portugal

Um dos problemas para os bengalis está no facto de não existir representação diplomática portuguesa no seu país, o que os força a terem que recorrer à vizinha Índia. Entre Daca, capital do Bangladesh, e Nova Deli, capital da Índia, distam mais de 1.800 quilómetros.

Governo italiano aprova envio de armas à Ucrânia para todo o ano de 2023

O Governo italiano aprovou um decreto prolongando o fornecimento de ajuda, incluindo armamento, à Ucrânia para todo o ano de 2023.
Comentários