Borrell saúda “trabalho extraordinário” de missão na Venezuela chefiada por eurodeputada portuguesa

O Alto Representante da União Europeia para a Política Externa, Josep Borrell, felicitou hoje, segunda-feira, a missão de observação eleitoral liderada pela eurodeputada Isabel Santos pelo seu “trabalho extraordinário” de supervisão das eleições de novembro passado na Venezuela.

O Alto Representante da União Europeia para a Política Externa, Josep Borrell, felicitou hoje, segunda-feira, a missão de observação eleitoral liderada pela eurodeputada Isabel Santos pelo seu “trabalho extraordinário” de supervisão das eleições de novembro passado na Venezuela.

Na conferência de imprensa no final de uma reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros da UE, em Bruxelas, Borrell disse que a chefe da missão de observadores da UE foi convidada a apresentar aos 27 as conclusões preliminares da missão de observação eleitoral e comentou que a eurodeputada portuguesa fez “uma bela exposição da missão, de como foram as eleições, os obstáculos, os problemas, os resultados”.

“Quero felicitar Isabel Santos e toda a equipa desta missão de observação eleitoral pelo extraordinário trabalho que fizeram. Os ministros concordaram que vamos continuar a promover a transição democrática na Venezuela, e todas as intervenções foram de grande apoio à decisão de enviar esta missão eleitoral, porque o nosso grande objetivo continua a ser a uma solução conduzida pela própria Venezuela, através de eleições transparentes e inclusivas a todos os níveis”, declarou o chefe da diplomacia europeia.

Nas declarações à imprensa portuguesa, também o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, referiu-se à apresentação das conclusões e das recomendações da missão de observação eleitoral feita pela eurodeputada socialista Isabel Santos.

“As eleições locais e municipais realizadas em novembro não foram conformes com as regras próprias da UE no que diz respeito à transparência, à equidade e à justiça de eleições. De qualquer modo, houve melhoramentos significativos em relação a eleições passadas, designadamente uma composição mais equilibrada da comissão nacional eleitoral”, comentou o ministro.

Santos Silva salientou que, “dos resultados das eleições resultou um país um pouco mais plural e um pouco mais inclusivo, e isso deve ser saudado”.

“Deve ser saudado também como um estímulo para que o nosso trabalho, da União Europeia e também no âmbito do Grupo Internacional de Contacto, prossiga, no sentido de garantir que o processo político, através do qual os venezuelanos possam encontrar a sua própria solução política e pacífica para a crise que vivem, possa prosseguir”, finalizou.

A Missão de Observadores Eleitorais da União Europeia (MOE-UE) às eleições regionais e municipais de 20 de novembro na Venezuela esteve no país desde 14 de outubro e incluiu 136 observadores, de 22 Estados-membros da União Europeia, da Noruega e Suíça.

A apresentação do relatório definitivo será feita entre finais de janeiro e princípios de fevereiro de 2021.

Recomendadas

Brittney Griner libertada pela Rússia em troca de prisioneiros com os EUA

A basquetebolista norte-americana estava presa desde agosto. Os norte-americanos soltaram o negociante de armas Viktor Bout, mais conhecido como “comerciante da morte”, que esteve preso nos EUA durante 12 anos.

Bruxelas quer que plataformas passem a cobrar IVA para evitar concorrência desleal

De acordo com as atuais regras de IVA, são os próprios prestadores de serviço – sejam motoristas ou donos de alojamento local – que são obrigados a coletar o IVA e a remiti-lo para as autoridades tributárias do seu país.

Alemanha e França condenam regime iraniano pela execução de manifestante

Este homem, Mohsen Shekari, “foi julgado e executado num julgamento pérfido e precipitado, porque não concordava com o regime”, declarou a chefe da diplomacia alemã, acrescentando que a ameaça de execução “não sufocará a vontade de liberdade das pessoas”.
Comentários