BPI eleito “Melhor Private Banking” do ano em Portugal

No final de 2021, o Private Banking do BPI registou um total de volume de negócios de 8,7 mil milhões de euros, sendo o maior em Portugal por ativos líquidos.

9 – BPI

As revistas The Banker e PWM, do Grupo Financial Times, elegeram o private banking do BPI como o melhor de 2022 em Portugal e “destacaram a liderança e proposta de valor do Private Banking do BPI, com foco na inovação contínua e no serviço de excelência junto dos seus clientes”.

A eleição ocorreu nos Global Private Banking Awards que, nos últimos 14 anos, “têm premiado a excelência na indústria de Wealth Management”.

O banco liderado por João Pedro Oliveira e Costa diz que “este reconhecimento confirma não só o sucesso do modelo de negócio, liderança e proposta de valor do Private Banking do BPI, como também a visão estratégica para os desafios que se colocam no futuro”.

No final de 2021, o Private Banking do BPI registou um total de volume de negócios de 8,7 mil milhões de euros, sendo o maior em Portugal por ativos líquidos.

Um painel de especialistas internacionais destacou o modelo de negócio do Private Banking do BPI, “que coloca a experiência do cliente como prioridade máxima, assente na combinação da contínua inovação tecnológica com o acompanhamento personalizado do Assessor Financeiro. Esta combinação permite uma abordagem sustentável e sólida para responder às necessidades dos nossos clientes no que diz respeito à excelência na gestão do património e na oferta de um serviço digital”, diz o banco.

António Luna Vaz, diretor executivo do Private Banking do BPI, salientou que este sucesso se deve “ao modelo de atenção personalizado, que coloca o Assessor Financeiro no centro da relação com cada cliente, conjugado com o desenvolvimento de soluções tecnológicas e de mobilidade que facilitam a relação e a gestão da carteira”.

“O BPI tem vindo a dar uma resposta sólida aos novos desafios da gestão de patrimónios, nomeadamente com o aumento da sofisticação dos clientes, bem como o crescimento da procura de investimentos alternativos”, acrescenta Luna Vaz.

Este ano, a PWM já tinha distinguido o BPI, no âmbito dos prémios nos Wealth Tech Awards, como Melhor Private Banking da Europa no que se refere à digitalização da gestão das carteiras de investimento dos seus Clientes (“Best Private Banking for digital portfolio management – Europe”), tendo sido também reconhecido com uma Menção Honrosa (Highly Commended) na categoria de Melhor Private Banking europeu no uso da digitalização dos serviços prestados pelos seus Assessores Financeiros (“Best Private Bank for digitally empowering Relationship Managers”).

Recomendadas

Sete bancos lucraram dois mil milhões até setembro, mais 71% do que no período homólogo

Os lucros dos sete maiores bancos – Caixa Geral de Depósitos, BCP, Novobanco, Santander Totta, BPI, Crédito Agrícola e Banco Montepio somam 2.006,3 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com um valor de 1.172 milhões nos nove meses do ano passado. O que significa que os lucros dos sete bancos cresceram 71,2%.

Bankinter é mecenas da exposição “Faraós Superstars” na Fundação Gulbenkian

A exposição “Faraós Superstars” pretende fazer uma reflexão sobre a popularidade dos faraós, reunindo 250 peças de importantes coleções europeias, provenientes de diferentes períodos históricos, desde antiguidades egípcias, passando pelas iluminuras medievais e pintura clássica até à música pop.

PremiumMapfre “atentíssima” à Fidelidade ou a seguradoras em crise

Há seguradoras com debilidades em Portugal, pressionadas pelo ramo automóvel, que estão na mira da Mapfre. O grupo admite crescer através da aquisição destas entidades, mas também não descarta olhar para a Fidelidade caso a Fosun decida vender.
Comentários