BPI instala-se no Edifício Monumental em Lisboa

Com esta mudança, os Serviços Centrais do BPI em Lisboa passam a estar essencialmente concentrados em apenas dois edifícios, Monumental e Casal Ribeiro 59, na zona da Praça do Saldanha. Sendo que a sede social do Banco mantém-se no Porto, na Avenida da Boavista 1.117.

Cristina Bernardo

O BPI anunciou que  o Edifício Monumental vai ser a casa das novas instalações do BPI. No total, são 14.000 metros quadrados de escritórios que passam a acolher a Comissão Executiva do Conselho de Administração do banco e cerca de 1.000 colaboradores de empresas do Grupo CaixaBank – BPI, BPI Gestão de Ativos, BPI Vida e Pensões, CaixaBank Equipment Finance e CaixaBank Payments & Consumer-, que até recentemente estavam distribuídos por outros edifícios da capital.

Com esta mudança, os Serviços Centrais do BPI em Lisboa passam a estar essencialmente concentrados em apenas dois edifícios, Monumental e Casal Ribeiro 59, na zona da Praça do Saldanha. Sendo que a sede social do Banco mantém-se no Porto, na Avenida da Boavista 1.117.

“Os novos escritórios reforçam o compromisso do BPI com a sustentabilidade e a inovação tecnológica, com a disponibilização, às Equipas BPI, de ecrãs digitais e interativos, de rede GSM 5G e soluções wifi de última geração”.

“A redução da pegada ambiental foi umas das prioridades, com a instalação de sistemas eficientes de climatização, com destaque particular para uma solução de fachada ventilada que permite melhorar o consumo energético do edifício e sistemas e políticas de gestão energética da última geração”, referiu o banco no comunicado.

“Estas preocupações ambientais estão bem patentes na iluminação de Natal na fachada, que recorre inteiramente a luzes led, e que segue as políticas definidas pela CML para os horários de iluminação de Natal”, acrescentou.

“Para além dos compromissos referidos, a nova casa BPI, com 11 pisos de escritório, visa proporcionar aos seus colaboradores, excelentes condições de trabalho, maximizando a componente colaborativa mas também de bem estar, disponibilizando em espaços maioritariamente organizados em open space, espaços de trabalho colaborativo e zonas de trabalho individual insonorizadas”, detalha o banco.

O BPI revela que o 11º piso, tem  “vista privilegiada para a cidade, um espaço informal Social Lounge, que todos os colaboradores podem usufruir”.

O banco revela que “o design das salas privilegia a utilização de materiais recicláveis e naturais de origem nacional, com destaque para a adoção do burel (tecido português, feito de lã dos ovinos de raça Serra da Estrela) na estrutura de insonorização”.

O BPI criou também, em todos os pisos, um espaço de reuniões forrado totalmente com cortiça de origem nacional,
denominado “Sala de Cinema”, o que o banco diz que é “um conceito que homenageia a história função do Edifício Monumental”.

Recomendadas

Premium“Crédito Agrícola tem de saber manter a sua identidade”

Papel da banca cooperativa é analisado em livro dos professores universitários Luís Reto, Paulo Bento e Nuno Crespo, a pedido do Crédito Agrícola.

CGD aumenta proposta salarial para 3,5%, mas sindicatos querem mais

O banco estatal também aceitou aumentar o valor das propostas referentes a alguns subsídios, como o de natalidade e o de trabalhador-estudante, e o plafond do crédito à habitação, dizem MAIS, SBC e SBN. Mas sindicatos pedem mais.

PremiumSantander, Novobanco, CGD e BCP herdam ativo de 140 milhões

Dos ativos que ficaram de fora do Projeto Crow, o Colombos Resort ficou para a CGD, a Quinta dos Clérigos para o BCP e o Morgado foi repartido por todos, exceto Oitante. Novobanco e Santander ficaram com o Montargil Hotel.
Comentários