BPI oferece 500 mil euros para inclusão social de idosos

O BPI entregou 500.000 euros a 27 instituições para apoiar projetos que promovem a inclusão social e o envelhecimento ativo de pessoas com mais de 65 anos. A oferta decorre no âmbito do Prémio BPI Seniores, um dos maiores prémios de responsabilidade social em Portugal e que tem como objetivo apoiar e dar visibilidade a […]

O BPI entregou 500.000 euros a 27 instituições para apoiar projetos que promovem a inclusão social e o envelhecimento ativo de pessoas com mais de 65 anos. A oferta decorre no âmbito do Prémio BPI Seniores, um dos maiores prémios de responsabilidade social em Portugal e que tem como objetivo apoiar e dar visibilidade a projetos de integração social que possam fazer a diferença na sociedade.

O primeiro prémio foi entregue ao Grupo de Ação Social do Porto, enquanto as restantes 26 instituições foram distinguidas com menções honrosas. O Grupo de Ação Social do Porto vai reabilitar casas de idosos através de pequenas intervenções de baixo custo e com mão-de-obra de voluntários. Estas operações pretendem corrigir desgastes do dia-a-dia e criar novas acessibilidades, quando necessário. As intervenções serão realizadas em parceria com as instituições de apoio ao idoso do Porto, que irá identificar situações de emergência de idosos que se encontrem em situação de isolamento e que serão posteriormente visitados por equipas de voluntários e acompanhados por uma Assistente Social.

Este projeto visa não só combater o isolamento dos idosos, mas também apoiá-los em tarefas diárias.

Fernando Ulrich, presidente do BPI, lembrou que “o banco, através da sua política de responsabilidade social, tem vindo a privilegiar o apoio a pessoas com maiores dificuldades de inclusão na sociedade. Em 2010 criámos o BPI Capacitar e em 2013 o BPI Seniores, dirigido a um segmento cada vez maior na população portuguesa – as pessoas com mais de 65 anos – que sofrem muitas vezes de carências gritantes”.

Concorreram o Prémio BPI Seniores 580 instituições, tendo a seleção dos vencedores sido feita com base na qualidade técnica e sustentabilidade dos projetos apresentados.

 

 

 

Instituições premiadas

1.º Prémio: Grupo de Ação Social do Porto; Menções Honrosas: Associação Portuguesa de Doentes de Parkinson; Centro Social e Paroquial de Queimada; Santa Casa da Misericórdia de Arganil; Santa Casa da Misericórdia de Marco de Canaveses; Santa Casa da Misericórdia de Sines; Associação de Solidariedade Social de Souselo; CERCIAG, CRL; Santa Casa da Misericórdia de Cantanhede; Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Viatodos; Casa do Povo do Concelho de Óbidos; Centro Social Paroquial Nossa Senhora da Vitória; Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Tavira; Centro de Bem Estar Social de Arronches; Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Fátima Ourém; Associação para o Estudo e Integração Psicossocial; Clube de Carnaxide Cultura e Desporto; ADBRAVA – Associação de Desenvolvimento da Ribeira Brava; Fundação AFID Diferença; Associação Nacional da Espondilite Anquilosante; Associação Coração Amarelo; Centro Social Paroquial de Moita dos Ferreiros; Recolhimento nossa Senhora do Carmo da Lapa; Centro Social e Cultural de Ribamar; Academia Cultural e Social de Maceira; Barcelos Sénior; CASCI – Centro de Ação Social do Concelho de Ílhavo.

 

OJE

Recomendadas

OE2022. Pagamentos em atraso sobem para 778,1 milhões até agosto

Os pagamentos em atraso das entidades públicas atingiram os 778,1 milhões de euros em agosto, um aumento em 157,6 milhões de euros face ao mesmo período do ano anterior, avançou esta segunda-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

OE2022. Receita fiscal do Estado aumenta 22,8% até agosto para 33,5 mil milhões

A receita fiscal do Estado aumentou 22,8% até agosto face ao mesmo período do ano passado, totalizando 33.511,5 milhões de euros, segundo a Síntese da Execução Orçamental divulgada esta segunda-feira.

OE2022. Resposta à Covid-19 custou ao Estado 2.835,2 milhões até agosto

A resposta à covid-19 custou 2.835,2 milhões de euros até agosto, devido à perda de receita em 464,5 milhões de euros e ao aumento da despesa em 2.370,7 milhões, avançou esta segunda-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).