BPI vence novamente na categoria de Grandes Bancos no Prémio Cinco Estrelas

Na categoria de Grandes Bancos, o BPI ficou à frente de outros quatro bancos, com uma pontuação total de 77,1%.

Pelo segundo ano consecutivo, o BPI venceu a categoria da Grandes Bancos no âmbito do Prémio Cinco Estrelas, anunciou a instituição de crédito em comunicado, esta terça-feira.

O Prémio Cinco Estrelas é um sistema de avaliação que mede o grau de satisfação que os produtos, os serviços e as marcas conferem aos seus utilizadores, segundo critérios que influenciam a decisão de compra dos consumidores e resultou da apreciação de 2.670 consumidores portugueses.

Na categoria de Grandes Bancos, o BPI ficou à frente de outros quatro bancos, com uma pontuação total de 77,1%.

Este ano,  o BPI já tinha sido eleito pela revista britânica “The Banker”, do grupo “Financial Times”, como o ‘Banco do Ano 2020’ em Portugal, tendo sido destacado a solidez do banco liderado por João Pedro Oliveira e Costa.

 

Relacionadas

Estado recebeu 7,3 mil milhões em receitas com bancos entre 2008 e 2019

Ao todo, as receitas dos bancos pagas ao Estado somam assim 7.280 milhões de euros. Muito inferior à despesa que os bancos geraram para o Estado e que é de 28.041 milhões em 12 anos. Sendo aqui a CGD responsável por uma despesa de 6.100 milhões entre 2008 e 2019.

BPI eleito ‘Banco do Ano 2020’ pela revista do FT por causa da solvência e projetos sociais com a Fundação la Caixa

Entre os indicadores em análise, a revista “The Banker” valorizou a qualidade dos resultados financeiros do BPI, o crescimento das quotas de mercado na generalidade dos segmentos e a expansão da base de clientes. A introdução de critérios ESG na análise de risco e de investimentos do BPI também foram fatores destacados.
Recomendadas

Lucros do Banco de Fomento sobem 135% para 22,9 milhões de euros em 2021

“Este aumento explica-se, essencialmente, pelo crescimento do produto bancário que passou de 31,89 milhões de euros, em 2020 para 44,69 milhões de euros no ano em análise”, ou seja, subiu 40%.

Produção das seguradoras cresceu 38% para 12,4 mil milhões em 2021

A entidade liderada por Margarida Corrêa de Aguiar anunciou que a produção global de seguro direto das empresas de seguros revelou uma recuperação de 38% durante o exercício de 2021, para 12,4 mil milhões de euros, invertendo a tendência negativa a que se assistiu nos dois anos anteriores.

Taxa de juro média dos novos empréstimos à habitação ultrapassa os 2% pela primeira vez desde maio de 2016

Em agosto, os bancos concederam 1.855 milhões de euros de novos empréstimos aos particulares, menos 111 milhões do que em julho, sendo 1.205 milhões de euros de crédito à habitação. Já o montante de novos empréstimos às empresas foi de 1.297 milhões de euros, menos 173 milhões do que no mês anterior.
Comentários