Brasil. A escolha dos 65 nomes que votarão o pedido de “impeachment”

A Câmara dos Deputados do Brasil está a ultimar a escolha dos 65 membros da comissão especial que vai decidir se o parlamento acolhe ou não o pedido de “impeachment” (impugnação) da Presidente Dilma Rousseff.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A comissão é oficializada amanhã, terça-feira e, neste mesmo dia também será escolhido o relator e o presidente do órgão.

Dilma Rousseff tem até dez sessões da comissão para apresentar a sua defesa e aquele órgão mais cinco sessões para emitir um parecer sobre a aceitação do pedido de destituição ou o seu arquivamento.

O plenário da Câmara vota esse texto até 48 horas após a sua divulgação.

Recorde-se que o processo de impugnação do mandato de Dilma Rousseff foi desencadeado no passado dia 2, altura em que o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, Eduardo Cunha, anunciou ter aceitado o pedido protocolado na Casa Legislativa em 14 de outubro por juristas.

O pedido de “impeachment” sustenta que o Governo cometeu irregularidades fiscais no atual mandato, iniciado em janeiro deste ano, ao contrário de solicitações anteriores, que não foram acolhidas por levarem em conta somente questões relacionadas com a Presidência terminada em 2014.

Importa ainda sublinhar que um dos coautores da ação que pede a impugnação de Rousseff, Helio Bicudo, é um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT, de centro-esquerda), mas deixou o partido em 2005. O pedido também foi apoiado pelo principal partido de oposição, o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

OJE

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

Premium“Para quem não tenha notado, a Rússia vai ficar ali” e a segurança da Europa passa por lá

As palavras do presidente francês cairam mal na invadida Ucrânia e nos longínquos EUA. Entretanto, ninguém sabe quais serão as consequências da decisão sobre petróleo russo.

PremiumPaíses ocidentais com fortes reservas face à coligação em Israel

A colocação de um extremista, racista e adepto da violência na direção do ministério que trata da segurança interna do país é considerado um desastre em potencial. A não ser que Netanyahu queira fazer com Itamar Ben-Gvir o mesmo que fez há uns anos com Ben Gantz.