Brasil. Contas públicas com défice até outubro

Aumento de 73% no défice em relação ao ano anterior

As contas públicas brasileiras registaram défice primário de 19.950 milhões de reais (4.840 milhões de euros) nos dez primeiros meses do ano, de acordo com dados divulgados pelo Banco Central do país.

O resultado, um aumento de 73% no défice em relação ao ano anterior, considera tanto as contas federais como as de Estados e municípios, e exclui as despesas e receitas com juros da dívida.

Considerando apenas Estados e municípios, houve um excedente de 17 mil milhões de reais (4.120 milhões de euros) entre janeiro e outubro. Já o Governo federal teve défice de 34.000 milhões de reais (8.240 milhões de euros) no período e, as empresas estatais, 3 mil milhões de reais (727 milhões de euros).

O Governo brasileiro prevê uma economia de 55.300 milhões de reais (13.400 milhões de euros) no Orçamento deste ano para arcar com a dívida pública, mas o Legislativo ainda não aprovou o projeto de lei que prevê a contenção de gastos.

O Executivo do país publicou um decreto que prevê um corte de 10 mil milhões de reais (2.420 milhões de euros) nas despesas deste ano, considerando que o projeto de economia orçamental ainda não passou no Congresso.

OJE

Recomendadas

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.

Musk tinha um plano para o Twitter? Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, head of investments da Sixty Degrees.

PSI encerra no ‘vermelho’ em contra ciclo com a Europa

Lá fora, as principais praças europeias negociaram maioritariamente em terreno positivo. O FTSE 100 valorizou 0,32%, o CAC 40 ganhou 0,08%, e o DAX apreciou 0,01%. O espanhol IBEX 35 manteve-se estável.