Brasil. EDP tranquila com eleição de Lula da Silva

“O Brasil é um bom caso que, independentemente das cores políticas, tem mantido uma grande estabilidade regulatória e legislativa e isso do ponto de vista do investimento de energia é fundamental”, disse hoje Miguel Stilwell.

A EDP está tranquila com a chegada do presidente Lula da Silva ao poder e garante que vai manter a aposta no país lusófono.

“Olhamos para as características regulatórias e as oportunidades que existem do ponto de vista do investimento. Levamos 25 anos de investimento no Brasil, desde o final dos anos 90. Já vivemos dois governos de Lula da Silva. Já tivemos vários presidentes o longo dos anos. A nossa política de investimento não depende de A ou de B, mas das políticas energéticas implementadas”, disse hoje Miguel Stilwell de Andrade durante a Web Summit.

“O Brasil é um bom caso que, independentemente das cores políticas, tem mantido uma grande estabilidade regulatória e legislativa e isso do ponto de vista do investimento de energia é fundamental. Quando investimos em redes, ou em projetos eólicos ou solares, investimos a 30 anos. O tema da estabilidade é não se mudar as regras de jogo é fundamental. Obviamente, que o nosso investimento estará mais dependente dessa política do que a pessoa A, B ou C”, destacou o gestor sobre a operação da companhia neste país, a EDP Brasil.

Lula da Silva foi eleito para um terceiro mandato inédito com 50,9% dos votos (60,3 milhões), enquanto Jair Bolsonaro reuniu 49,1% (58,2 milhões). O novo presidente vai assumir o cargo em janeiro de 2023.

Outra energética portuguesa a investir no Brasil é a Galp, que considera que a eleição de Lula da Silva não vai mudar nada.

“O Brasil tem tido governos de esquerda e de direita e o clima de investimento tem se mantido muito estável. Antecipamos que continue assim. Porquê? Porque o Congresso está muito focado ao centro. Para aprovar leis, é preciso ter uma legislação moderada. O Brasil tem atraído investimento e a Galp tem sido parte disso e acreditamos que o clima de investimento vai-se manter”, afirmou Andy Brown na quinta-feira na Web Summit.

O país lusófono é a joia da coroa da petrolífera portuguesa: a maioria da sua produção de petróleo e de gás natural tem origem aqui, assim como a maioria do seu EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização).

Recomendadas

Banco de Fomento lança consulta pública para dois novos Programas de co-investimento em PME

Estando ainda disponível o montante de 475 milhões de euros para lançar novos Programas, “o BPF convida as empresas e todos os interessados a participar na consulta pública acerca de futuras soluções de capital e quase capital, com o objetivo de obter contributos sobre as condições de dois Instrumentos Financeiros pré-estruturados destinados a fomentar a constituição de empresas e/ou capitalização empresarial”, revela o banco liderado por Ana Carvalho.

Premium“Somos a ótica das pessoas e que traz o know how francês”, diz CEO do grupo MonOpticien

Em entrevista ao JE, o CEO do grupo MonOpticien, Florent Carriére, explica o modelo de subscrição que traz para Portugal. “O meu concorrente não é a Multióticas, é a a Netflix e o Spotify”, sublinha.

Bancos da zona euro devolvem antecipadamente 447,5 mil milhões ao BCE

Este montante vem juntar-se aos quase 300 mil milhões de euros que foram reembolsados antecipadamente em 23 de novembro.
Comentários