Brasil vai sair da crise em 2017, diz Temer

Na sua mensagem de Natal, o presidente brasileiro assegura que o país está a terminar um ano de “imensos desafios”.

Michel Temer, PMDB, 2016-

“2017 será o ano em que derrotaremos a crise”, afirmou o presidente Michel Temer, na mensagem de Natal que endereçou à população brasileira, na noite de Consoada. Numa transmissão aos meios de comunicação social, de apenas três minutos e meio, o chefe de Estado explicou que “o Brasil tem pressa” e ele “também”.

O presidente insistiu que seu Governo está a tomar as medidas necessárias a que o país retome o crescimento e garantiu que o Brasil está no caminho certo. Na mensagem natalícia, o presidente destacou ainda a recente aprovação no Congresso de uma reforma constitucional que bloqueia os gastos públicos, bem como os projetos para flexibilizar as leis laborais do país.

“Tenho trabalhado dia e noite para fazer as reformas necessárias para que o país saia desta crise e volte a crescer”, afirmou Michel Temer. O presidente fez ainda referência ao aumento no orçamento da saúde, área para a qual assegura que não irá poupar recursos, nos próximos tempos.

De acordo com o Temer, a “inflação caiu e voltou a ficar dentro da meta”, o desemprego vai baixar e os “juros estão a cair e vão cair ainda mais”. O presidente encerrou o discurso de Natal com um apelo aos brasileiros a que acreditem no Brasil: “Juntos vamos reconstruir o nosso país”.

Na semana passada, o Banco Central do Brasil divulgou um relatório onde aponta uma redução de 1,3% para 0,8% a expectativa de crescimento da economia brasileira para 2017. No que diz respeito à inflação, a instituição considera que, este ano, teve resultados melhores do que os esperados, consequentes “da reversão de alta de preços dos alimentos”.

Recomendadas

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta sexta-feira

Os EUA divulgam os dados da criação de emprego em novembro. O mercado laboral norte-americano continua a surpreender pela positiva e a dar sinais de vitalidade face à forte subida de juros iniciada este ano pela Fed, embora comecem a surgir algumas dúvidas quanto à sua resistência.

Fitch: Crise energética e custo de financiamento conduzem a recessão na Europa Ocidental ainda este ano

A agência de rating estima que o crescimento real médio do PIB da região é de apenas 0,8% em 2023, significativamente abaixo dos 3,8% em 2022. “Acreditamos que a zona do euro entrará em recessão a partir do quatro trimestre de 2022”, acrescenta.

Circulação paga do Jornal Económico dispara 23% desde janeiro

A subida da circulação paga do Jornal Económico contraria a tendência do sector e deveu-se às assinaturas digitais, que tiveram um crescimento de 2,9%, mas também às vendas da edição impressa, que registaram um aumento de 19% face ao primeiro trimestre do ano. Este desempenho compara com a descida de 5,8% na circulação paga do líder de mercado, o “Jornal de Negócios”.
Comentários