Brexit: interrupção do processo só depende dos britânicos, diz Juncker

Juncker reiterou que o processo de ‘divórcio’ entre o Reino Unido e a UE é “difícil”, elogiando os esforços da primeira-ministra britânica, Theresa May, para se chegar a um acordo sobre a primeira fase das negociações.

Luke MacGregor/Reuters

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse hoje que depende do Parlamento e povo britânicos a decisão sobre uma eventual interrupção do processo do ‘Brexit’.

Questionado pelos jornalistas sobre a eventualidade de o Reino Unido não chegar a abandonar a União Europeia (UE), Juncker salientou que “isso depende do Parlamento britânico e do povo britânico”.

“Não nos compete decidir o que os britânicos têm que fazer”, adiantou, em declarações à entrada para o segundo e último dia do Conselho Europeu, com o ‘Brexit’ na agenda.

Juncker reiterou que o processo de ‘divórcio’ entre o Reino Unido e a UE é “difícil”, elogiando os esforços da primeira-ministra britânica, Theresa May, para se chegar a um acordo sobre a primeira fase das negociações.

Os líderes dos 27 deverão hoje dar o aval para a passagem à segunda fase negocial, seguindo a recomendação nesse sentido da Comissão Europeia.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, referiu já que a segunda fase das negociações em torno do ‘Brexit’ – as relações futuras entre UE a 27 e Reino Unido – constituirá “o verdadeiro teste à unidade” dos 27.

Recomendadas
Carlos Moedas

Moedas diz que classe política “tem que dar o exemplo de devoção pelo bem comum”

O presidente da Câmara de Lisboa considerou hoje que o 1.º de Dezembro ensinou que a “classe política tem que dar o exemplo de devoção pelo bem comum”, não podendo fechar-se “sobre si mesma” ou considerar ser “imune à crítica”.

Costa apela para celebração da “força da bandeira nacional” em mensagem do Dia da Restauração

 O primeiro-ministro António Costa homenageou hoje a “memória dos que lutaram e contribuíram” para a restauração da independência de Portugal, apelando para a celebração da “soberania” e da “força da bandeira nacional”, numa mensagem evocativa do 1.º de dezembro.

Marcelo agradece a ciganos que “deram a vida pela independência” e lamenta discriminação

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lembrou hoje os ciganos que “deram a vida” pela independência nacional e lamentou a discriminação de que têm sido alvo em Portugal.
Comentários