Brexit. Juncker assume que saída desordenada seria “uma catástrofe absoluta”

“Os riscos que ameaçam a UE são evidentes. [Uma saída desordenada do Reino Unido] seria uma catástrofe absoluta”, estimou.

Vincent Kessler/Reuters

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, assegurou hoje que uma saída desordenada do Reino Unido da União Europeia (UE) seria “uma catástrofe absoluta”, motivo pelo qual o executivo comunitário está a trabalhar para evitar esse cenário.

“Os riscos que ameaçam a UE são evidentes. [Uma saída desordenada do Reino Unido] seria uma catástrofe absoluta”, estimou.

Jean-Claude Juncker, que falava numa conferência de imprensa em Bruxelas a propósito da receção ao presidente da Grécia, Prokópis Pavlópoulos, destacou que a Comissão Europeia está a envidar os “melhores esforços” para que uma saída desordenada não aconteça.

As declarações do presidente do executivo comunitário acontecem horas depois de Bruxelas ter apresentado um plano de contingência para um cenário de ‘Brexit’ desordenado, no qual figuram 14 medidas respeitantes a setores particularmente ‘sensíveis’, como os serviços financeiros, o transporte aéreo, alfândegas e política climática.

Na terça-feira, o Governo britânico decidiu iniciar os preparativos para uma retirada do Reino Unido da União Europeia (UE) sem acordo, apesar de ainda manter o objetivo de uma saída consensual com Bruxelas, informou o ministro do ‘Brexit’, Steve Barclay.

O parlamento britânico deverá pronunciar-se sobre o acordo de saída do Reino Unido do bloco comunitário, firmado entre o Governo da primeira-ministra conservadora Theresa May e os líderes da UE, na semana que se inicia em 14 de janeiro, após o adiamento da votação em 11 de dezembro, perante uma eventual clara rejeição do acordo por muitos deputados conservadores e pela oposição.

Relacionadas

Brexit: Comissão avança com plano em caso de não acordo

Com um acordo entre o Reino Unido e a União a constituir um cenário cada vez mais improvável, a Comissão adotou medidas de contingência nos serviços financeiros, transportes aéreos e alfândegas, entre outros.

Brexit vai ser votado na semana de 14 de janeiro

Primeira-ministra britânica anunciou ainda que a discussão sobre o entendimento é retomada no próximo dia 7.

Empresas britânicas criticam políticos por discordâncias ao invés de prepararem o pós ‘Brexit’

A 100 dias da saída da UE – a 29 de março de 2019 – vários grupos empresariais admitiram, num comunicado, que as empresas “observam com horror” as disputas internas em Westminster, sede do Parlamento britânico em Londres.
Recomendadas

Governo decide não renovar estado de alerta em território nacional

O ministro da Saúde justifica a decisão com “o elevado nível de vacinação na população portuguesa”.

Ameaça nuclear de Putin “deve ser levada a sério”, alerta analista

“Estamos a abordar uma situação considerada impensável. Uma nova realidade”, vincou Eugene Rumer, ex-oficial dos serviços de informações para a Rússia e Eurásia no Conselho de Inteligência Nacional dos Estados Unidos e diretor do programa Rússia e Eurásia do Carnegie Endowment Endowment for International Peace.

Covid-19: Índice de transmissão do vírus volta a subir para os 1,06 em Portugal

O índice de transmissibilidade (Rt) do coronavírus SARS-CoV-2 voltou a subir em Portugal para os 1,06 e todas as regiões estão com este indicador acima do limiar de 1, indicou hoje o Instituto Ricardo Jorge (INSA).
Comentários