Brexit: May cancela votação-chave no Parlamento para evitar derrota massiva

A informação está a ser avançada por fonte do Governo britânico, que indica que a líder do Partido Conservador está a tentar ganhar tempo para impedir o chumbo do “rascunho do acordo” do Brexit.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, vai cancelar a votação-chave dos termos da saída do Reino Unido da União Europeia (UE) no Parlamento. A informação está a ser avançada por fonte do Governo britânico, que indica que a líder do Partido Conservador está a tentar ganhar tempo para impedir o chumbo do “rascunho do acordo” do Brexit.

Segundo a mesma fonte, citada pela agência ‘Bloomberg’, a votação na Câmara dos Comuns deveria acontecer na noite de terça-feira, mas deve ser reagendada. A primeira-ministra britânica tem estado ao telefone com os seus ministros mais antigos e espera-se que faça um anúncio formal sobre o caminho a ser seguido pelo Parlamento no final do dia.

O adiamento da votação vem agitar ainda mais as negociações do Brexit. Caso o Parlamento se recuse a ratificar o esboço de saída do Reino Unido da UE, os britânicos podem vir a deixar o bloco europeu sem qualquer tipo de acordo, desencadeando ainda mais incerteza política e económica. A falta de consenso pode levar ainda à demissão de Theresa May e arrastar o Reino Unido para uma nova eleição e um novo referendo para resolver a crise.

Relacionadas

Tribunal europeu confirma que Reino Unido pode desistir do Brexit

Com esta decisão do tribunal sedeado no Luxemburgo, o Reino Unido não precisa de autorização dos outros Estados-membros para revogar a saída da União Europeia.

Possibilidade de um Brexit sem acordo afeta riscos de insolvência

A Crédito y Caución calcula que o crescimento das insolvências no Reino Unido seja 14% mais elevado no caso de um Brexit sem acordo. Diz que ameaça para os serviços é ainda maior. E que em Portugal, o turismo pode enfrentar um “duro” impacto de um Brexit não negociado.
Recomendadas

Covid-19: Mortalidade e internamentos estáveis, infeções com tendência crescente

A mortalidade e as hospitalizações por covid-19 continuam em níveis estáveis em Portugal, mas o país regista uma tendência crescente de novos casos de infeção, indica o relatório sobre a evolução da pandemia hoje divulgado.

Portugal registou 19.703 mil casos e 41 mortes de Covid-19 na última semana

A Direção-Geral da Saúde contabilizou mais 2.049 infeções e mais quatro óbitos em comparação à semana anterior.

As pessoas não podem ficar para trás na nova era

Milhões de euros de investimentos e centenas de megawatts. Ao escrever e ler sobre o mundo da energia, é normal que os grandes números sejam abordados, tal a dimensão dos projetos.
Comentários