Brexit: Nigel Farage acusa Theresa May de “dançar ao som da música da UE”

O ministro britânico defende que a primeira-ministra não necessitava de fazer tantas concessões aos Estados membros nas negociações da saída do bloco europeu e que, em algum momento, o Brexit terá de ser reconduzido.

Dylan Martinez/Reuters

O eurodeputado e líder do Partido de Independência do Reino Unido (UKIP), Nigel Farage, acusa a primeira-ministra britânica, Theresa May, de “dançar ao som da música” da União Europeia (UE). Nigel Farage defende que a primeira-ministra não necessitava de fazer tantas concessões aos Estados membros nas negociações da saída do bloco europeu e que, em algum momento, o Brexit terá de ser reconduzido.

“Não estou surpreso que [a União Europeia] esteja muito satisfeita com Theresa May, a apaziguadora, que cedeu em praticamente tudo”, afirmou Nigel Farage, no Parlamento Europeu. “A primeira-ministra britânica tem dançado a melodia europeia e isso está a deixar a União Europeia muito contente”.

O eurodeputado considera que “a maior deceção” para os britânicos que no referendo de 23 de junho de 2016 deram vitória ao Brexit é a de chegarem a 2019 e terem um Brexit “apenas de nome”, sendo que tudo o resto permanece como se o país não tivesse abandonado o bloco europeu. “Acredito que, no futuro, o Brexit terá de ser reconduzido”, afirma.

O Parlamento Europeu, que tem direito de veto sobre os termos do acordo final do Brexit, debate e vota esta quarta-feira, em sessão plenária, uma resolução que recomenda a passagem à segunda fase das negociações entre Bruxelas e Londres. A fatura a pagar pelo Brexit, os direitos dos cidadãos europeus no Reino Unido e, sobretudo, a questão da fronteira com a Irlanda continuam a ser as três grandes questões a travar as negociações entre as duas partes.

Recomendadas

Chefes da diplomacia da Rússia e da Guiné Equatorial reuniram-se

Os dois ministros salientaram a importância crucial da segunda Cimeira Rússia-África, a realizar em São Petersburgo em 2023, para o reforço das diversas relações da Federação Russa com nações africanas, adianta-se no comunicado.

Cancelados dois concertos de Roger Waters na Polónia devido a posicionamento pró-russo

O co-fundados dos Pink Floyd iria atuar em Cracóvia em abril do próximo ano, na sala de espetáculos “Tauron Arena”, mas, segundo adiantam alguns meios de comunicação da Polónia, as autoridades polacas pretendem declarar Roger Waters como ‘persona non grata’.

Protestos no Irão: Ministério dos Negócios Estrangeiros convoca embaixadores britânico e norueguês

Mahsa Amini, 22 anos, foi detida na terça-feira passada pela chamada “polícia de moralidade” de Teerão, capital do Irão, onde se encontrava de visita, por alegadamente trazer o véu de forma incorreta e transferida para uma esquadra com o objetivo de assistir a “uma hora de reeducação”.
Comentários