Brexit: Reino Unido dá até domingo para UE ceder em questões concorrenciais e pescas ou abandona negociações

Os britânicos querem ver cedências significativas por parte dos europeus nas matérias que têm travado o progresso das negociações, como a política de pescas e a concorrencial, que constituem matérias de princípio depois do voto pela saída da UE.

O Reino Unido deu até ao final deste fim-de-semana para que a União Europeia recue nas matérias relativas a trocas comerciais entre os dois blocos ou os britânicos abandonarão as negociações para um acordo de saída, reporta a Reuters.

Depois do falhanço das negociações entre as duas equipas responsáveis pelo processo de cada um dos lados, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, estabeleceram no jantar entre ambos da passada quarta-feira que o próximo domingo constitui a data limite para ultrapassar o impasse que persiste.

O Reino Unido pretende ver recuos significativos na questão das pescas e de concorrência, reconhecendo que estas têm um impacto real limitado, mas que constituem matérias de princípio para os britânicos.

Em declarações à Sky News, o secretário dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Dominic Raab, reconheceu que existem ainda alguns “pontos de diferença significativos”, mas salientou a margem negocial que ainda existe.

“Domingo será um dia importante”, afirmou Raab. “Nunca dizemos nunca neste tipo de situações, mas creio que precisamos de ter um desfecho”, concluiu.

Relacionadas

Decisão sobre negociações do Brexit terá de ser tomada até domingo, diz presidente da Comissão Europeia

“Concordámos que as nossas equipas de negociação deveriam reencontrar-se imediatamente de maneira a resolver as questões essenciais. Chegaremos a uma decisão até ao final do fim de semana”, disse Ursula von der Leyen depois de um jantar de três horas com Boris Johnson.
Recomendadas

OE2023: Conselho de Ministros extraordinário discute documento na terça-feira

O Governo discute em Conselho de Ministros extraordinário na terça-feira a proposta de Orçamento do Estado para 2023, numa reunião que marca o começo do processo de aprovação do documento, que é entregue ao parlamento na segunda-feira.

Desafios tecnológicos, burocracia, renováveis e perda de água em debate

A transição energética em Portugal e na Europa esteve em debate na conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.

Transição energética não pode ser feita sem as pessoas

Empresas do sector energético destacam a importância das pessoas nos seus projetos. A transição não pode ser feita sem o envolvimento das populações locais e sem a conversão de postos de trabalho.
Comentários