Bricolage. Setor deverá crescer 5,5% em Portugal

Faturação cresceu 5,8%, situando-se nos 640 milhões de euros


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A faturação agregada dos estabelecimentos especializados na venda a retalho de artigos de bricolagem no conjunto do mercado ibérico situou-se nos 3235 milhões de euros em 2014, mais 6,6% do que em 2013, de acordo com o estudo setorial da Informa D&B “Estabelecimentos de Bricolagem-Mercado Ibérico”.

Em Portugal, a faturação cresceu 5,8%, situando-se nos 640 milhões de euros. Para 2015, a Informa D&B prevê um crescimento deste setor de 5,5%.

Apesar do comportamento mais satisfatório do negócio, em ambos os países mantém-se a tendência de orientação da procura para artigos de preços mais baixos, fazendo com que as empresas do sector reforcem as campanhas agressivas de descontos e promoções.

Também as receitas médias por estabelecimento cresceram, situando-se em 2014 nos 4,6 milhões de euros no mercado espanhol, e cerca dos 3,7 milhões em Portugal.

A faturação setorial nos dois países manterá a curto prazo a sua tendência ascendente, prevendo-se que atinja os 3415 milhões de euros em 2015, valor que representa um aumento de 5,6% face a 2014. Em 2016 espera-se um crescimento semelhante.

OJE

Recomendadas

Crise/Inflação: Casais podem receber 125 euros pelo IBAN do reembolso do IRS

O apoio de 125 euros é individual, mas os casais que entreguem o IRS em conjunto e só tenham o IBAN do reembolso deste imposto confirmado nas Finanças recebem o apoio nessa conta bancária, esclareceu hoje fonte oficial.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.

Premium“Dá-se quase uma medalha a quem consegue fugir aos impostos”, diz presidente da APIT

O presidente da APIT salienta que Portugal está a braços com a economia informal e que são precisas políticas de cidadania na área.