Britânicos estão a perder interesse pelo Algarve (e o culpado é o Brexit)

Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA) revela que os efeitos da decisão do Reino Unido sair da União Europeia estão a chegar ao turismo português.

Os turistas britânicos estão a perder o interesse pelo Algarve e a causa é o Brexit, de acordo com a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA). Segundo dados da associação, a que a TSF teve acesso, o número de viagens diminuiu 12,6% no mês de julho face ao período homólogo.

Os britânicos estarão a privilegiar férias no Reino Unido e os que continuam a eleger o Algarve como destino de férias têm menos poder de compra. “No seguimento do Brexit, a libra desvalorizou, só no último ano, cerca de 15% e seria difícil que isso não tivesse reflexo nas férias dos britânicos”, explicou em declarações à TSF, Elidérico Viegas, presidente da AHETA.

Em julho, a taxa de ocupação no mês de julho no Algarve foi de 86,5% e o volume de negócios cresceu 4,5%. A associação acredita que a tendência se vai acentuar-se nos próximos meses.

Relativamente ao ano passado, os dados da AHETA indicam que a taxa de ocupação do Algarve foi de 64,4%. Em 2016, o mercado britânico foi o maior fornecedor de turistas, com um aumento de 14,7% face ao ano anterior.

Relacionadas

Portugueses que vão de férias preferem praias nacionais

Nestas férias os portugueses querem ir para o Algarve e gastar pelo menos 700 euros, o mesmo que no ano passado.

Algarve: receitas do turismo aumentam quase 20%

Com melhoria dos proveitos, das dormidas e de hóspedes, a região de Turismo do Algarve afirma agora que o turismo algarvio “está a crescer de forma sustentável”.

Maioria dos hoteleiros antecipa verão com ocupação superior a 80%

Segundo o inquérito da Associação da Hotelaria de Portugal “Perspetivas Verão 2017”, elaborado com base nas reservas de julho a setembro, os hoteleiros nacionais esperam um verão “bastante superior” a 2016.
Recomendadas

Prémio “João Vasconcelos – Empreendedor do ano 2022” atribuído aos fundadores da Coverflex

O prémio de “Empreendedor do Ano” foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, e por Bernardo Correia, ‘country manager’ da Google Portugal, entidade parceira desta edição.

Empresa aeronáutica prevê 6 milhões para começar a produzir aviões em Cabo Verde

“Venho elaborando este projeto já há dois anos, criei a empresa Aeronáutica Checo-Cabo-verdiana, empresa que irá produzir os aviões da Orlican e Air Craft Industries em Cabo Verde”, afirma Mónica Sofia Duarte.

BPI e FCT financiam 20 projetos e nove ideias para o desenvolvimento sustentável no Interior

A edição de 2022 do Programa Promove, uma iniciativa da Fundação “la Caixa”, em colaboração com o BPI e em parceria com a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), concedeu apoios a fundo perdido de perto de 3,6 milhões a um total de 20 projetos e nove ideias destinados a impulsionar o desenvolvimento sustentável de regiões do interior de Portugal.
Comentários