Bruno Castro Henriques e Francisco Nogueira Leite mantêm-se na Parparticipadas

A Parparticipadas é uma das três sociedades criadas para retirar os activos problemáticos do BPN, que foi nacionalizado durante o Executivo de José Sócrates e de Fernando Teixeira dos Santos.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

A Parparticipadas anunciou a renúncia do Vogal não executivo do Conselho de Administração, Pedro Ventura e da Presidente do Conselho Fiscal, Maria Rosa Tobias Sá.

A composição do Conselho de Administração da Parparticipadas, SGPS, para o triénio 2015-2017 mantém como Presidente Bruno Castro Henriques e Francisco Nogueira Leite como vogal.

A composição do Conselho Fiscal também sofreu alterações, tendo saído o presidente da Mesa José Emílio Castel-Branco, tendo entrado para o seu lugar Cristina Freire e tendo-se mantido como vogais David António de Avelar e Miguel Mendes de Barros.

A Parparticipadas é a sociedade do Estado que ficou com as participações do antigo BPN, que foi vendido ao BIC. A Parparticipadas é uma das três sociedades (as outras duas são a Parups e a Parvalorem) criadas para retirar os activos problemáticos do banco nacionalizado durante o Executivo de José Sócrates e de Fernando Teixeira dos Santos (ex-Ministro das Finanças e actual presidente do BIC).

A venda do BPN ao BIC foi feita por 40 milhões de euros, já no governo seguinte.

Uma das participações da Parparticipadas era o Banco Efisa que continua à espera de autorização do regulador bancário para vender à Pivot SGPS.

Também a Parvalorem, outras das sociedades, anunciou os seus órgãos sociais para o triénio 2016 a 2018. No Conselho Fiscal o Presidente é Pedro Miguel Ventura, e os vogais são David de Avelar, João Lopes Ribeiro e como vogal Suplente Ana Paula Tita.

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral, José Emílio Castel-Branco renunciou também aqui.

Estas mudanças ocorreram na Assembleia Geral realizada no passado dia 21 de novembro de 2016.

Recomendadas

Fitch melhora perspetiva do rating do BCP

A mudança de perspectiva para o rating do BCP reflete, em parte, uma maior clareza em torno do provisionamento necessário para cobrir os riscos legais do Bank Millennium com empréstimos hipotecários denominados em francos suíços, na Polónia.

Sindicatos dos Quadros e SIB pedem apoio extraordinário para bancários no ativo

Ainda sobre as medidas do Governo de apoio para fazer face à inflação, o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) e o SIB (Sindicato Independente da Banca) pedem parecer sobre constitucionalidade do apoio aos pensionistas e exigem apoio extraordinário para bancários no ativo.

Rácio de crédito malparado na banca melhora para 3,4% no segundo trimestre

A queda “reflete a diminuição dos NPL (-4,0%) e o aumento dos empréstimos produtivos (+1,8%)”, explica o supervisor da banca. A rentabilidade também melhorou.
Comentários