Bruxelas junta universidades europeias em projeto pioneiro

A Universidade de Aveiro integra este projeto da Comissão Europeia que vai abordar desafios da sociedade contemporânea.

O Consórcio Europeu de Universidades Inovadoras, ou Universidade ECIU, vai ser financiado em cinco milhões de euros pela Comissão Europeia, que com ele visa estabelecer um novo conceito de universidade internacional no espaço europeu.

A Universidade estará aberta a estudantes, investigadores, indústria e sociedade europeia em geral e vai oferecer uma formação interdisciplinar, flexível e à medida das necessidades de quem a procura. Vai, portanto, muito além dos tradicionais programas de mobilidade Erasmus e relações internacionais existentes, salienta a Universidade de Aveiro.

Na Universidade ECIU vai ser possível frequentar unidades curriculares de “forma muito flexível, como e quando necessário, bem como adquirir e aplicar conhecimento através da investigação de ponta produzida pelos diferentes parceiros”. Estudantes, investigadores e funcionários de universidades, empresas e organizações públicas parceiras poderão, assim,  recorrer aos “saberes multidisciplinares” “para encontrar soluções para problemas reais”.

“Será desenvolvido um sistema de micro-credenciais e um passaporte de competências que comprovará o percurso feito pelo estudante através do conhecimento. O estudante que até aqui estava limitado ao tradicional diploma pode agora dispor de toda a flexibilidade do passaporte de competências. Este será um dos aspetos inovadores da Universidade Europeia ECIU”, explicou o vice-reitor da UAveiro, Artur Silva, na fase de candidatura do projeto.

O projeto foi apresentado em Barcelona, Espanha, e junta 17 universidades europeias selecionadas pela Comissão Europeia, entre as quais figura a Universidade de Aveiro.

Recomendadas

Três praias de Oeiras interditadas a banhos

As praias de Caxias, Santo Amaro de Oeiras e Paço de Arcos foram interditadas a banhos, desde sexta-feira, depois das análises à qualidade da água revelarem valores microbiológicos acima dos parâmetros de referência, revelou hoje a Autoridade Marítima Nacional.

António Almeida-Dias: “Ao contrário do ensino superior estatal, não pedimos dinheiro ao Governo”

Presidente da APESP defende que Portugal tem muito a ganhar com um ensino superior privado que usufrua da autonomia e liberdade consagradas na Constituição e que o Estado limita. O setor privado da economia já demonstrou ser o motor da inovação e do progresso, diz.

IPLeiria constrói cinco residências e renova sete num investimento de 25 milhões do PRR

Com este investimento, o Politécnico vai assegurar residências de estudantes em todas as cidades onde conta com oferta formativa, nomeadamente em Leiria, Caldas da Rainha, Peniche, Marinha Grande, Pombal e Torres Vedras.
Comentários