Bruxelas recomenda reforço de poder da Autoridade da Concorrência nacional

Bruxelas defende que se deve dotar legalmente a Autoridade de Concorrência com poderes para emitir pareceres sobre as contas do governo e com a criação de regulamentos que introduzam restrições em termos de acesso às actividades económicas.

AdC

Assegurar uma adequado financiamento da Autoridade da Concorrência é essencial para a implementação eficaz da agenda de reformas do governo, revela o relatório da quarta missão do Post-Programme Survaillance (PPS), que se realizou de 15 a 22 de Junho passado.

“O financiamento da Autoridade da Concorrência deve reflectir as suas necessidades crescentes relacionadas com acções intensificadas ou tarefas adicionais”, diz o relatório da Comissão Europeia.

O relatório lembra o modelo de financiamento adoptado em 2014 para financiar a Autoridade da Concorrência (liderada por António Ferreira Gomes) que passou a exigir que os reguladores sectoriais contribuíssem com uma percentagem entre 5,5% e 7% do montante total das receitas próprias.

Mas lembrou que outros esforços devem ser feitos para promover a defesa da Concorrência, nomeadamente através da incumbir legalmente a Autoridade de Concorrência com o poder de emissão de um parecer sobre os gastos do governo e com a criação de regulamentos que introduzam restrições em termos de acesso às actividades económicas.

O relatório alerta ainda para a falta de pagamento de um dos reguladores à AdC. “No âmbito do programa, um novo modelo de financiamento foi adoptado para garantir a estabilidade financeira da Autoridade da Concorrência nacional. Esse modelo implica transferências das várias Autoridades Reguladoras calculadas com base numa percentagem das taxas que cobram”, começa por dizer a este propósito, a Comissão Europeia.

A implementação deste modelo de financiamento requer muita atenção para garantir que todas as autoridades reguladoras transferem em pleno a sua contribuição na data prevista, diz o relatório pós-programa de ajustamento divulgado esta segunda-feira.

Mas, sem identificar qual, Bruxelas diz que neste momento “uma das transferências ainda está pendente”. Isto é, há um dos reguladores que está em falta com a transferência para a AdC.

Recomendadas

Apenas 2,4% dos jovens são sindicalizados. “Temos de repensar os sindicatos”, diz presidente do CNJ

Sindicatos são a forma de participação política com menos força entre os jovens. A conclusão é de um estudo da Universidade Católica para o Conselho Nacional de Juventude. Redes sociais já têm mais peso do que a televisão na interação dos portugueses dos 18 aos 30 anos com a política.

PremiumPatrões querem que todas as despesas de teletrabalho fiquem isentas de IRS

Governo estuda fixar um valor até ao qual as despesas de teletrabalho estão livres de IRS. Patrões consideram positivo, mas avisam: ideal seria todos os pagamentos estarem isentos.

PremiumTaxa dos sacos de plásticos rende 2,1 milhões em sete anos

Receita arrecadada com a contribuição sobre os sacos de plástico leves nunca chegou sequer perto da estimativa do Governo. Retalhistas mudaram gramagem dos sacos, escapando à tributação.
Comentários