Cabify Travel traduz aposta no setor do Turismo

Através da Cabify Travel, os clientes podem solicitar um Cabify, de forma simples e rápida, na receção da unidade hoteleira onde se encontram instalados, sabendo, no momento do pedido, o preço da sua viagem – o qual não se encontra dependente de fatores como o tráfego ou a duração da viagem. Além de pedidos na […]

Através da Cabify Travel, os clientes podem solicitar um Cabify, de forma simples e rápida, na receção da unidade hoteleira onde se encontram instalados, sabendo, no momento do pedido, o preço da sua viagem – o qual não se encontra dependente de fatores como o tráfego ou a duração da viagem. Além de pedidos na hora, os clientes poderão ainda efetuar reservas, planeando com antecedência a sua ida ao aeroporto, por exemplo.

Antes de descrever o processo de criação desta solução, Nuno Santos, general manager da Cabify Portugal, recorda que a empresa já tinha parceiros do setor do Turismo que justificavam uma aposta estratégica na área. “O nosso objetivo com o Cabify Travel é ajudarmos as unidades hoteleiras e agências de viagens a fornecer um serviço de mobilidade personalizado e completo aos seus hóspedes e clientes, com a garantia de qualidade da Cabify – veículos novos, de gama alta, conduzidos por motoristas profissionais e com oferta de comodidades como águas, WiFi e revistas de cortesia”, reforça o responsável.

Assim, esta solução nasceu para agilizar todas as necessidades de mobilidade, fazendo com que os clientes possam solicitar um Cabify “de forma simples e rápida”, garante a empresa, a partir da próprias receção da unidade hoteleira onde se encontram instalados. Acresce ainda a vantagem de poder saber antecipadamente o preço da sua viagem, que não está dependente de fatores como o tráfego ou a duração.

“Para além disso, os clientes podem ainda efetuar reservas ou solicitar recolhas no aeroporto com cartaz. Consideramos que com esta solução aportamos valor ao setor e contribuímos para uma experiência turística mais rica e tranquila”, acrescenta ainda Nuno Santos.

Sobre a aposta específica no mercado português, o general manager da Cabify Portugal afirma que “vivemos, sem dúvida, uma era de ouro ao nível do Turismo”, frisando ainda que Portugal é visto internacionalmente como o país que todos querem visitar. “Lisboa foi, inclusivamente, classificada pelo Huffington Post como a 5ª cidade europeia mais visitada e o Porto distinguido como Melhor Destino Europeu de 2017”, salienta. Assim sendo, em seu entender, uma aposta na melhoria da qualificação da oferta turística nas suas várias dimensões, e também no domínio da mobilidade, “contribuirá claramente para uma atividade turística sustentada”.

Quanto à evolução da empresa no mercado nacional, e a curto prazo, Nuno Santos, avança que neste momento estão focados na promoção deste serviço, querendo torná-lo uma referência nesta área mas “trabalhamos constantemente para enriquecer a nossa oferta com serviços de mobilidade inovadores, pensados a partir das necessidades dos nossos clientes”, não colocando inteiramente de parte a possibilidade de surpreender o mercado português.
E ainda no que concerne à constante preocupação para com as necessidades dos clientes, Nuno Santos dá também o exemplo da Cabify Baby, um produto concebido a pensar no transporte de crianças, fazendo uso do equipamento de segurança necessário e obrigatório por lei. “É algo que sabemos ser diferenciador no mercado mas, também, agregador de valor para os nossos clientes”.

Por outro lado, o futuro da Cabify Portugal também passa por continuar a consolidar os serviços que já disponibilizam em Lisboa, Porto e Funchal.

Recomendadas

Inflação pode retirar competitividade às empresas portuguesas

Responsável da Fundação AIP considera que os custos nos transportes, aliados ao atual quadro político poderá levar a que esta não seja a melhor altura para o sector empresarial se expandir para os mercados mais longínquos. Investir na vertente digital é outro dos desafios.

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.
Comentários